Sonda da Nasa encontra poços lunares com temperaturas ‘confortáveis’​ para seres humanos

Diferentemente de outras regiões do satélite natural que chegam a graus extremos, poços identificados pela sonda LRO marcam temperaturas que sempre pairam na casa dos 17ºC. Descoberta pode beneficiar futuras missões da agência espacial.

5
O poço de Marius Hills, um das regiões lunares com temperaturas confortáveis, em três diferentes imagens feitas pela sonda LRO. — Foto: NASA/Divulgação

A Nasa, a agência espacial norte-americana, divulgou nesta terça-feira (26) a descoberta de locais sombreados dentro de poços na Lua “que sempre pairam em torno de confortáveis 17ºC”.

A revelação foi feita por meio de estudo de um grupo de cientistas financiados pela agência espacial, e que utilizou dados da sonda espacial Lunar Reconnaissance Orbiter (LRO, ou Orbitador de Reconhecimento Lunar, em português), lançada para explorar o satélite natural em 2009.

De acordo com a Nasa, esses poços e cavernas para os quais eles podem levar podem ser úteis ​​para a exploração lunar por serem regiões termicamente estáveis, algo importante do ponto de vista científico tendo em vista que algumas áreas na superfície da Lua aquecem até 127ºC durante o dia e esfriam a congelantes -173ºC durante a noite.

“Os poços lunares são uma característica fascinante na superfície da Lua”, afirmou Noah Petro, cientista do projeto LRO, em um comunicado divulgado pela Nasa.

“Saber que eles criam um ambiente térmico estável nos ajuda a pintar uma imagem dessas características lunares únicas e a perspectiva de um dia explorá-las”, complementou.

Cratera na região da Lua chamada de Mare Tranquillitatis, ou Mar da Tranquilidade, localizada na face visível do satélite natural. — Foto: NASA/Divulgação

Ainda de acordo com a Nasa, esses poços e as cavernas também podem ser úteis porque são capazes de oferecer proteções contra raios cósmicos, radiação solar e micrometeoritos.

“Dois dos poços mais proeminentes têm saliências visíveis que claramente levam a cavernas ou vazios, e há fortes evidências de que a saliência de outro também pode levar a uma grande caverna”, afirmou a agência espacial.

Retorno à Lua já tem data marcada

A descoberta dessas áreas proeminentes foi revelada semanas antes de um importante lançamento da agência; a Nasa se prepara para a primeira missão não tripulada do programa americano de retorno à Lua, a Artemis I, que deverá decolar no final de agosto.

Se tudo der certo com as primeiras missões da Artemis, a agência pretende levar novamente astronautas à Lua até 2025, numa espécie de preparação para uma exploração científica ainda maior: a primeira missão tripulada para Marte.

Em uma rede social, a conta oficial da Nasa dedicada à exploração lunar provocou: poderiam essas regiões encontradas na Lua se tornar futuros habitats para astronautas?

Fonte: g1

Comentários Facebook