DER diz que meta é entregar novo asfalto da Abido Saadi, na Serra,  em dezembro

Maretto afirma que pavimentação será entregue no trecho de Manguinhos até a Avenida Guaianazes (depois do Supermercado Epa), sem a duplicação, antes do Natal, mas faz um alerta: “Se ocorrer fortes chuvas, vamos ter de mudar o cronograma”

151
Reunião no DER, quinzenal, para tirar dúvidas da comunidade sobre a evolução da obra da nova Avenida Abido Saadi

O diretor-presidente do Departamento de Edificações e de Rodovias do Espírito Santo (DER-ES), Luiz Cesar Maretto, bateu o martelo com um grupo de moradores e comerciantes que, a pedido do deputado Bruno Lamas (PSB), foi ouvido na sede do órgão, na última quarta-feira (13): o asfalto novo da Avenida Abido Saadi, em Jacaraípe, na Serra, será entregue antes do Natal.

“Quero reafirmar aqui para vocês que estamos trabalhando para entregar a nova Avenida Abido Saadi, do trecho de Manguinhos até a Guaianazes (depois do Supermercado Epa), sem a duplicação, antes do Natal. Ela será entregue com toda a pavimentação, faixa C, calçadas e meio-fio”, afirmou Maretto.

Bruno conversa com Maretto ao lado de engenheiros e membros da comunidade: articulação entre o governo e comunidade

O diretor-presidente do DER, porém, fez uma ressalva:

“Mas é preciso a compreensão de que, se houver fortes chuvas no período, teremos de rever nosso cronograma. Se eu perceber que em função do volume de chuvas não será possível, teremos de colocar outro plano em prática. Vou abrir a avenida para passar o verão e os comerciantes não ficarem prejudicados. Vamos avaliar sistematicamente a obra para que ela cause o menor impacto possível. Mas o impacto sempre terá”.

Maretto recebeu a Comissão de Fiscalização e Acompanhamento da Abido Saadi, formada por moradores, comerciantes e lideranças comunitárias, para responder aos 19 questionamentos que foram entregues a ele, acerca do andamento da obra. A comissão se reúne quinzenalmente com o diretor para tirar dúvidas da comunidade.

“Queremos entregar a reabilitação asfáltica de dois trechos, de forma integral, com pavimentação, antes do verão. E com meio-fio e calçada. Sabemos que no verão a movimentação de Jacaraípe é maior, devido à praia. A empresa responsável, a Cinco Estrelas, está trabalhando com velocidade para minimizar os impactos no comércio local”, frisou Maretto.

Os comerciantes e moradores, com a articulação de Bruno Lamas, têm cobrado um cronograma para acompanhamento dos trabalhos. O comércio, que já enfrenta dificuldades por conta do fechamento durante a pandemia, teme ainda maior prejuízo e demissões, caso a obra se estenda além do prazo.

PARCERIA

Eles também cobram uma parceria com a Prefeitura Municipal da Serra para dar uma melhor organização à orla, com a presença do Batalhão de Trânsito e operações tapa-buracos. O objetivo é evitar a fuga de turistas no verão.

“Uma máquina quebrou e ficou parada. Já tive perda de mais de 30% no faturamento com o fechamento da via. Temos funcionários que garantem o sustento às suas famílias. Queremos maior sinergia com o comércio. Mas estou confiante de que a obra será entregue”, declarou Marcus Vago, da Loja Empório Agro, que faz parte da comissão responsável por acompanhar, opinar e participar dos trabalhos.

O deputado Bruno Lamas, que é um dos maiores incentivadores da obra, tem conversado diariamente com moradores e comerciantes para conter os ânimos e fiscalizado o andamento das atividades.

“Reafirmo: teremos novo asfalto, nova drenagem, nova calçada, novos pontos de ônibus (com baias para paradas) e nova iluminação. A obra segue firme. Vamos pedir a colaboração da prefeitura para ajudar na organização da orla”, declarou o deputado.

Para garantir obras de infraestrutura no acesso às praias do Norte capixaba, o governo do Estado, por meio do DER, deu início, no dia 7 de junho deste ano, a um pacote de obras num trecho de 7,52 quilômetros entre o trevo de Manguinhos e a Praia de Capuba, na Avenida Abido Saadi, trecho da ES-010 que corta a Grande Jacaraípe, na Serra.

A obra, que impactará a vida de 70 mil moradores, é uma reivindicação antiga da comunidade, uma vez que o atual asfalto está esburacado e é da década de 80. Ela está orçada em R$ 37,9 milhões.

Crédito de fotos: Assessoria parlamentar

Comentários Facebook