Governador participa da inauguração da maior planta de dessalinização de água do mar do País

17
Fotos: Hélio Filho/Secom

O governador do Estado, Renato Casagrande, participou, na manhã desta terça-feira (14), da inauguração da planta de dessalinização de água, inaugurada pela siderúrgica ArcelorMittal Tubarão e que vai entrar em operação ainda este mês. Com capacidade para dessalinizar 500 m³/hora, deixará de consumir água doce do Rio Santa Maria da Vitória, hoje captada e fornecida pela Companhia Espírito-santense de Saneamento (Cesan).

O volume de água seria capaz de abastecer uma cidade com cerca de 120 mil habitantes, contribuindo com a segurança hídrica no Estado. Essa iniciativa se soma a outras ações, como a assinatura no início do mês de um Termo de Compromisso entre a siderúrgica e o Governo do Estado para a compra mensal para fins industriais de água de reúso proveniente de efluentes da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) da Cesan.

“Estamos em um momento perigoso para nossa vida planetária. Precisamos de todos para manter esse planeta vivo. Viverei meu resto de vida com segurança ambiental, mas não sei como será no futuro. Por isso, temos que ter uma mudança no consumo e em nossa atitude. É bom saber que uma empresa, como a ArcelorMittal tem esse compromisso com a área ambiental. A segurança hídrica é um debate atual e a maior planta de dessalinização de água está aqui no Espírito Santo. Isso vai permitir a economia de água potável para 80 mil pessoas na Grande Vitória”, afirmou o governador Casagrande.

Na avaliação do diretor presidente da Cesan, Carlos Aurélio Linhalis (Cael), os projetos são inovadores e se complementam na gestão dos recursos hídricos. “O volume de água para fins industriais que deixará de ser retirado do Rio Santa Maria da Vitória torna-se disponível para uso pela sociedade e o reúso do efluente de esgoto representa o seu aproveitamento ao máximo: o sistema da Cesan coleta o esgoto doméstico e faz o tratamento transformando em água para uso industrial. As iniciativas configuram um ciclo socioambiental sustentável na preservação das bacias hidrográficas, na qualidade dos serviços prestados à sociedade e no desenvolvimento da economia”, explicou.

Segundo o CEO da ArcelorMittal Brasil, Benjamin Baptista Filho, a produção da planta está alinhada à estratégia da empresa frente a futuros cenários de escassez hídrica. O sistema utilizará tecnologia de osmose reversa, bastante comum em países como Israel, Espanha, Estados Unidos e outros, para captação de água do mar.

“Nossas equipes fizeram estudos durante cerca de dois anos, incluindo avaliação de várias alternativas tecnológicas para dessalinização, análises de qualidade da água do mar, discussões técnicas com fornecedores de todo o mundo, testes em laboratório e até visitas técnicas em plantas na Argentina e nos Estados Unidos. Tudo para definir pelo projeto mais ajustado à nossa realidade e expectativas”, disse o executivo.

Construída em área de cerca de 6 mil m², a planta consumirá cerca de 3 MW de energia elétrica e representa menos de 1% do total de energia gerada pela própria ArcelorMittal Tubarão, que é autossuficiente. Um dos diferenciais do projeto está na sua configuração por módulos. O primeiro terá capacidade para dessalinizar 500 m³/hora de água do mar (suficiente para abastecer cerca de 80 mil pessoas/dia), com possibilidade de serem acrescentados módulos futuramente.

Investimentos em segurança hídrica

Além das parcerias com o setor privado para garantia da segurança hídrica, o Governo do Estado e a Cesan executam o Programa de Gestão Integrada das Águas e da Paisagem. É o maior conjunto de ações na área ambiental da história do Espírito Santo, com financiamento do Banco Mundial. Entre 2019 e 2020, foram realizados R$ 500 milhões em investimentos nos sistemas de saneamento. Neste biênio 2021/2022, serão iniciadas obras com o valor total de R$ 2,2 bilhões.

Os investimentos são aplicados na ampliação e em melhorias dos sistemas de abastecimento de água e esgotamento sanitário e na gestão dos recursos hídricos para o uso coordenado da água, do solo e recursos relacionados para o desenvolvimento sustentável, contribuindo para a despoluição dos mananciais.

Também está em andamento o projeto da Barragem dos Imigrantes. Com orçamento de R$ 96,5 milhões é o maior investimento dos últimos 38 anos para garantia da segurança hídrica. A Barragem terá capacidade de armazenar 23 bilhões de litros de água, localizada no Rio Jucu, na região conhecida como Vista Linda, entre os municípios de Domingos Martins e Viana e vai beneficiar mais de um milhão de habitantes da região da Grande Vitória.

Estiveram presentes na inauguração a vice-governadora do Estado, Jacqueline Moraes; o secretário de Estado de Inovação e Desenvolvimento, Tyago Hoffmann; o prefeito da Serra, Sérgio Vidigal; o deputado estadual Rafael Favatto; além dos dirigentes de órgãos e autarquias Alaimar Fiuza (Iema), Munir Abud (Bandes) e, Christina Engel (Fapes).

Com Informações: Assessoria de Comunicação do Governo e da Cesan

Comentários Facebook