Deputados ainda recebem aposentadorias décadas após deixarem mandatos

10
Theodorico tem mais de 60 anos de vida pública. Foi deputado federal pela Arena, na década de 60, sigla que deu sustentação a ditadura militar.

A Reforma da Previdência acabou com o plano especial de aposentadoria do Congresso para os próximos congressistas, mas muitos ex -parlamentares continuaram a receber suas pensões, até a morte.

É o caso de 13 ex-deputados do Espírito Santo que juntos recebem R$ 161.447,45. Os valores das pensões variam entre R$ 8.778,38 a R$ 20.884,83, décadas depois de deixarem os mandatos.

Os ex federais que recebem há mais tempo são Theodorico Ferraço e Max Mauro, que foi deputado na década de 80, até se eleger governador do Estado. Ferração, como é mais conhecido, está em atividade até hoje, é deputado estadual e disputa a reeleição.

Partido da ditadura

Ferraço tem mais de 60 anos de atividade política, e nunca ficou sem mandato. Foi federal pela Arena, partido que deu sustentação a ditadura militar, 1979-1983, ARENA, 1983-1987, PDS, e 1995-1997 pelo PTB.

A ex-deputada Rita Camata – também está na lista, ela recebe R$ 20.884,83. Foi deputada federal por cinco mandatos, e uma das mais atuantes da bancada capixaba. Desistiu da vida pública. Foi casada com o senador Gerson Camata, já falecido.

Nilton baiano cumpriu 4 mandatos e recebe até hoje quase 17 mil

Desconto era alto

Theodorico Ferraço (DEM) recebe uma aposentadoria de R$ 10.972,98. Ele cumpriu dois mandatos inteiros e no terceiro renunciou na metade para assumir a prefeitura de Cachoeiro de Itapemirim – ES.

“A aposentadoria era automática quando o deputado perdia o mandato, isso acabou, mas a pensão continua, pois os próprios parlamentares contribuíam. Era descontado um alto valor do meu salário quando eu era deputado”, disse ele.

Ferraço disse que não tem “amor” por Brasília, mas considera seus mandatos positivos. Apesar disso, disse ter se frustrado como deputado o que o levou a renunciar e voltar à prefeitura de Cachoeiro.

“O deputado federal tem muita frustração, nem sempre você consegue realizar as obras que você deseja para o seu município, para o seu estado, então fiquei um tempo em Brasília, mas acabei voltando para a prefeitura, depois voltei para a Câmara mais uma vez, sempre fiz a vontade do povo, o povo que me comanda”.

Já a deputada federal Norma Ayub (DEM), esposa de Theodorico Ferraço, votou a favor da Reforma da Previdência que acaba com a aposentadoria especial dos Congressistas.

João Coser, ex-deputado federal e candidato a prefeito de Vitória, de novo.

Principal petista do ES, João Coser, ex-estadual e federal – ex-presidente estadual do PT disse que sua aposentadoria foi baseada na legislação. Ele recebe mensalmente R$ 13.167,57.

“Depois que aposentei continuei trabalhando, atuei como prefeito, depois como Secretário de Estado, continuei recebendo mais ou menos o salário que eu recebia como deputado,  minha aposentadoria é 50% do salário de deputado, trabalhando meu rendimento aumenta em 7 mil, dependendo da função”, disse.

Sobre a Reforma da Previdência o presidente estadual do maior partido de oposição ao governo – PT, disse que não sabe opinar e que não está acompanhando.

“É muito difícil uma pessoa que está aposentada defender uma coisa diferente, mas sempre fui a favor que o teto da Previdência fosse pra todo mundo, deputados, senadores, desembargadores. Eu sei que estou defendendo uma coisa e fui beneficiado por outra, mas pensando no país, o justo é isso, se não acha justo faça uma previdência complementar para se aposentar com um salário melhor” disse para a reportagem.

Max Mauro, ex-deputado federal e ex-governador do Espírito Santo

Aos 84 anos, o ex-governador do Espírito Santo, Max Mauro recebe uma aposentadoria de R$ 13.167,57 pelos três mandatos que exerceu como deputado (1978/1982 – PMDB, 1983/1986 – PMDB e 1998/2002 – PTB).

Max disse para a equipe de reportagem que desde de 2002 recebe a aposentadoria, quando perdeu seu mandato de deputado federal. Quando foi eleito governador do ES, se recusou a receber a aposentadoria junto com o salário e disse ter recebido muitas críticas.

“Quando eu fui governador, queria acabar com isso, inclusive eu recusei a aposentadoria, e eles [assembleia legislativa] acharam um absurdo, recebi uma resposta por telefone muito rígida, eu achava que eu estando no governo do estado não deveria receber a pensão”.

Sobre a Reforma da Previdência e o fim da aposentadoria especial, Max Mauro afirma que “a tendência é essa, até que enfim isso chegou”.

Confira os valores das aposentadorias dos 13 ex-deputados federais do Espírito Santo:

Ex-deputado
Aposentadoria
Mandatos
JOÃO CARLOS COSER
R$ 16.495,64 1995-1999/ 1999-2003
JOÃO MIGUEL FEU ROSA R$ 16.495,64 1995-1999/ 1999-2003/ 2003-2007
JÓRIO DE BARROS CARNEIRO R$ 8.778,38 1991-1995
LUIZ CÂNDIDO DURÃO
R$ 8.778,38 1995-1999/ 2001-2003
MÁRIO ALVES MOREIRA R$ 8.778,38 1975-1979/ 1979-1983
MAX FREITAS MAURO R$ 13.167,57 1978-1982/ 1983-1986/ 1998-2002
NELSON ALVES DE AGUIAR R$ 9.875,68 1983-1987/ 1987-1991
NILTON GOMES OLIVEIRA R$ 16.495,64 1991-1995/ 1995-1999/ 1999-2003/ 2003-2007
PEDRO CEOLIN SOBRINHO R$ 13.167,57 1983-1987/ 1987-1991
RITA DE CÁSSIA PASTE CAMATA R$ 20.884,83 1987-1991/ 1991-1995/ 1995-1999/ 1999-2003/  2007-2011
ROBERTO VALADÃO ALMOKDICE R$ 8.778,38 1991-1995/ 1995-1999
STELIO DIAS R$ 8.778,38 1983-1987/ 1987-1991
THEODORICO DE ASSIS FERRACO R$ 10.972,98 1979-1983/ 1983-1987/ 1995-1997

Com Informação: Agência Congresso

Comentários Facebook