Polícia garante choque de ordem em Manguinhos

Major Carvalho, responsável pelo policiamento do bairro, garantiu ações, em encontro virtual com moradores e com o deputado Bruno Lamas, para reduzir assaltos à mão armada, furto a residências e o "turismo da maconha" no balneário

25

A Polícia Militar anunciou hoje (31) que vai realizar um choque de ordem no balneário de Manguinhos, na Serra, que recebe até 30 mil pessoas nos fins de semana. O objetivo é reduzir a prática de crimes, como assaltos à mão armada, furto a residências e o “turismo da maconha” na orla.

A decisão foi anunciada pelo major Carvalho, responsável pela 14ª Companhia Independente da Polícia Militar, que faz o policiamento no bairro, após cobrança do deputado estadual Bruno Lamas (PSB) e de membros da Associação de Moradores de Manguinhos.

O presidente da Associação de Moradores, Guilherme Lima, reclamou dos “crimes de oportunidade”, quando bandidos observam as casas vazias ao dia e, de madrugada, voltam com comparsas e de caminhonetes para fazer “a limpa” nos locais. Para isso, desligam os disjuntores das casas, impedindo o funcionamento das cercas elétricas.

Ele também frisou o aumento dos assaltos à mão armada, com bandidos usando motos, e até o que chamou de “turismo da maconha”, com até 200 pessoas fazendo uso de entorpecentes na orla de Manguinhos ao mesmo tempo.

Guilherme cobrou o policiamento ostensivo no bairro, com os policiais circulando pelas ruas internas, e não ficando fixos na vila, e também as investigações dos crimes cometidos, já que, segundo ele, os assaltos seguem um mesmo “modus operandi”.

Major Carvalho, por sua vez, lembrou a necessidade de envolvimento de outros atores, como a Prefeitura Municipal da Serra – por meio das secretarias de Defesa Social (Guarda Municipal) e de Serviços (podas das regiões de mata, que escondem usuários de drogas) –, mas garantiu que a PM vai fazer a sua parte.

“Vamos dar um choque de ordem, com pontos de bloqueio e a abordagem de veículos de aplicativos e pedestres. Esse é um compromisso”, declarou major Carvalho, após ouvir, por cerca de 1h30, em reunião virtual, as demandas da comunidade para redução da violência no balneário.

Bruno – responsável em marcar a reunião, que contou ainda com as presenças do secretário de Estado da Segurança Pública e Defesa Social, Alexandre Ramalho, o subsecretário de Estado de Integração Institucional, Guilherme Pacífico, e o coronel Leonardo Celante, comandante do 6º Batalhão ­­– lembrou que as ações de enfrentamento à violência no bairro devem ser de curto, médio e longo prazos.

O parlamentar pediu o retorno imediato dos quadriciclos que eram usados para fazer o policiamento na praia, além de uma adaptação na escala da Polícia Montada, para que os policiais a cavalo possam retornar ao bairro. Também sugeriu a volta da Polícia Comunitária.

Ele também frisou que “onde está a farda, bandido passa longe”, por isso a comunidade é favorável à existência de uma base fixa, que poderia ser aberta no Centro Cultural ou na sede da Pastoral da Criança, que possa servir de referência para os moradores, além de um local com água, café e computadores, como ponto de apoio para as forças de segurança.

“O capixaba gosta de blitz, de operações sistemáticas. A ronda é essencial. O cidadão de bem aceita a abordagem. Vamos retirar essas pessoas que fazem uso de entorpecentes na orla”, cobrou Bruno.

Comentários Facebook