1º de abril: Volkswagen se desculpa após ter anunciado mudança no nome como trote do Dia da Mentira

Montadora divulgou que unidade nos Estados Unidos passaria a se chamar Voltswagen

17
Veículo elétrico da Volkswagen (Foto: REUTERS/Toby Melville)

A montadora alemã Volkswagen (VW) anunciou no último dia 30 de março que sua unidade nos Estados Unidos passaria a se chamar Voltswagen, uma mudança que marcaria o posicionamento da empresa em direação aos veículos elétricos. A divulgação foi feita por meio de comunicado não só à imprensa, mas também aos investidores e analistas. Porém, a história era na verdade uma brincadeira antecipada do Dia da Mentira, em 1º de abril, e para marcar também o lançamento do SUV elétrico ID.4.

Mas o trote não teve graça e a companhia teve que se desculpar. “A Volkswagen da América desenvolveu e implementou uma campanha de marketing para chamar a atenção para as iniciativas em elétricos da Volkswagen e o lançamento no mercado do ID.4 nos EUA”, disse a empresa. “A intenção era conscientizar sobre um importante tema corporativo e setorial do país. Lamentamos que o lançamento do anúncio possa ter chateado algumas pessoas”, acrescentou.

O anúncio foi intepretado como autêntico pelos meios de comunicação de todo o mundo, assim como por membros do conselho de empresas concorrentes e até mesmo por analistas financeiros da Wedbush, que escreveram que a mudança de nome “destaca o compromisso claro da VW com sua linha de elétricos e os esforços nesse sentido nos próximos anos”. A própria VW pareceu se esforçar para confirmar a validade do rebranding, incluindo mudança do nome no perfil do Twitter.

O comunicado à imprensa incluiu até mesmo uma declaração do CEO regional Scott Keogh, dizendo que a “mudança de nome significa um aceno ao nosso passado como o carro do povo e nossa firme convicção de que nosso futuro está no carro elétrico do povo”. Assim como um comentário de Kimberley Gardiner, identificado como vice-presidente sênior de marketing da marca Voltswagen of America”, afirmando que “no decorrer dos próximos meses, você verá a transição da marca em todos os pontos de contato do consumidor”, como na publicidade e nas mídias online, com novos logotipos sendo enviados para as concessionárias – os veículos elétricos vendidos pela VW receberiam um emblema “Voltswagen” também.

O valor dos ADRs da companhia nos Estados Unidos chegou a subir 16% no dia do anúncio, mas caíram 5% após revelarem o trote. O comunicado à imprensa foi retirado da página oficial ainda na noite noite de terça-feira (30), e o nome da página dos EUA voltou ao original Volkwagen.

A Volkswagen disse ao jornal Finantial Times que “mudar o preço das ações não era e não é o objetivo da campanha”. A SEC (Securities and Exchange Commission), que regula o mercado de ações no país, não quis comentar se investigaria o assunto. O jornal financeiro destaca que foi uma estratégia incomum para uma empresa que passou os últimos cinco anos tentando limpar a reputação de desonestidade corporativa causada pelo caso Dieselgate, em que não apenas vendeu milhões de carros que trapacearam em testes de emissões, mas também tentou encobrir suas irregularidades quando questionada pelos reguladores.

A piada estimulou comparações imediatas com esse escândalo das emissões. Segundo fontes ouvidas pelo FT, a sede na Alemanha aprovou a campanha nos Estados Unidos. O periódico lembra ainda que, em 2003, a montadora mudou o nome de sua sede em Wolfsburg para “Golfsburg” para marcar o lançamento da mais recente versão do Golf.

A campanha visava dar visibilidade ao lançamento elétrico ID.4, que é chave para as ambições da VW em elétricos após o lançamento mal sucedido de seu modelo anterior ID.3. A fabricante tem apenas 4% de participação nesse mercado nos Estados Unidos, ficando atrás da Europa e da China, onde tem cerca de 20%.

Com Informações: Época NEGÓCIOS

Comentários Facebook