Sem ter o que fazer, casais fazem fila em motéis de Barra de São Francisco

Funcionários desses estabelecimentos reclamam que estão ficando mais expostos à Covid e sua mutação inglesa no município que decretou lockdown.

346
Centro da cidade de Barra de São Francisco

Por essa nem o prefeito esperava: ter que resolver ‘problemas colaterais’ da quarentena. Explicando: com a cidade em lockdown de hoje (24/03) até às 6 horas da manhã da próxima segunda-feira (29), o prefeito Enivaldo dos Anjos (PSD) recebeu uma demanda que desafia a equipe de fiscalização das medidas de restrição decretadas em Barra de São Francisco: casais estão lotando os motéis da cidade do noroeste do Estado.

Funcionários dessas casas de ‘amores proibidos’, como já descreveu um poeta, fizeram chegar ao prefeito a reclamação, porque o decreto é enfático ao dizer que nenhuma atividade ou comércio pode funcionar, exceto os setores essenciais.

Como os casais estão lotando os motéis (serviço essencial?), os funcionários reclamam porque estão tendo que ir trabalhar e, ao mesmo tempo, ficam expostos à transmissão do novo coronavírus, em especial à cepa inglesa, que é o maior problema hoje do município.

O prefeito ainda não respondeu se sexo em motel é atividade essencial.

*Com informações do colunista Leonel Ximenes, de A Gazeta.

Comentários Facebook