Comissão de Educação vai ouvir secretarias sobre possibilidade de vacinação de professores

270

A Comissão de Educação da Assembleia Legislativa vai ouvir, na próxima segunda-feira, às 12h30, no plenário Judith Ribeiro, representantes das secretarias de Estado da Educação (Sedu) e da Saúde (Sesa) sobre a possibilidade de vacinar professores e demais profissionais da educação (coordenadores, pedagogos, serventes e auxiliares de secretaria, dentre outros), de forma prioritária, contra o coronavírus.

A decisão, que foi aprovada durante a primeira reunião ordinária da Comissão, realizada hoje (dia 23), no mesmo local, atende ao pedido do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Espírito Santo (Sindiupes), que requereu uma audiência pública para tratar do assunto.

Dentre os questionamentos que serão realizados estão: com base nas informações oficiais, priorizar os profissionais da educação com o imunizante é uma medida que pode ser tomada pelo Estado? Quantas vacinas seriam necessárias, com base no plano estadual de vacinação? O governo dispõe desses insumos? Qual seria o impacto da medida na garantia de mais segurança à volta às aulas presenciais nas escolas?

“O Sindiupes solicitou uma reunião, uma audiência pública, com os deputados, que será realizada de forma presencial, na próxima segunda-feira, às 12h30, atendendo a todas as exigências e normas de saúde do Estado e da Assembleia”, garantiu o presidente da Comissão de Educação, Bruno Lamas (PSB).

A vacinação está em curso no Estado, contemplando, na primeira fase, os profissionais da saúde, idosos com 60 anos ou mais que moram em casas de longa permanência, pessoas com deficiência em instituições e indígenas aldeados.

Outra decisão da Comissão de Educação, que na sessão de hoje contou também com as participações do vice-presidente Alexandre Quintino PSL) e o deputado Sergio Majeski (PSB), foi o agendamento de uma reunião com familiares de crianças com Transtorno de Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH), Transtorno Opositivo-Desafiador (TOD) e dislexia. O encontro está agendado para 8 de março.

Comentários Facebook