Variante brasileira do coronavírus é identificada no ES

Variante observada no Estado foi encontrada em janeiro no Amazonas. No Espírito Santo, ela foi identificada exclusivamente em pacientes oriundos de Manaus.

19
Estrutura do coronavírus tem formato de coroa — Foto: Radoslav Zilinsky/Getty Images/Arquivo

A nova variante brasileira do coronavírus, conhecida como P1, foi identificada no Espírito Santo. A informação foi divulgada nesta sexta-feira (12) pelo Ministério da Saúde e pela Secretaria de Estado da Saúde.

A variante observada no Estado foi encontrada em janeiro no Amazonas. No Espírito Santo, ela foi identificada exclusivamente em pacientes de Manaus que vieram tratar a Covid-19 em um hospital da Serra, na Grande Vitória.

Além disso, segundo a Sesa, em amostras de um paciente de Manaus e de funcionário(a) do Hospital Dr. Jayme Santos Neves, foi detectada a P2, uma variante isolada primeiramente no Rio de Janeiro e que já está presente em outras localidades do Brasil.

O Governo do Estado do Espírito Santo informou que desde 2020 o Laboratório Central de Saúde Pública do Espírito Santo (Lacen/ES) encaminha amostras inconclusivas, e de pacientes suspeitos de infeção por novas linhagens do coronavírus, para sequenciamento genômico na Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

De acordo com a Sesa, ao todo, até agora foram identificadas cinco linhagens no Estado:

  • B.40 – identificada entre os primeiros casos do estado, amostra de caso importado, em período que não havia transmissão comunitária;
  • B.1.1.33 – identificada ao longo do ano de 2020, em pacientes de transmissão comunitária.
  • B.1.1.28 – identificada em janeiro de 2021, linhagem não documentada anteriormente, em paciente de transmissão comunitária não relacionada com pacientes oriundos de Manaus recebidos pelo Espírito Santo para tratamento da Covid-19;
  • P1 – identificada exclusivamente em pacientes oriundos de Manaus; [Variante que surgiu no Amazonas]
  • P2 – identificada em um paciente de Manaus e em funcionário(a) do Hospital Dr. Jayme Santos Neves, rastreado por meio da testagem de assintomáticos e devidamente isolado. O nexo do caso rastreado com o caso de Manaus não pode ser confirmado devido positividade ter sido apresentada num período inferior a 48h do contato. Além disso, relata-se existência de sintomas de exantema e prurido nos dias anteriores ao contato assistencial com pacientes de Manaus. [É uma variante isolada primeiramente no Rio de Janeiro e que já está presente em outras localidades do Brasil].
Linhagens e variantes no Brasil — Foto: Reprodução/ Fiocruz

A Sesa destacou que, ao longo de fevereiro, novos resultados serão apresentados e que, possivelmente, identificarão no estado diversas linhagens do novo coronavírus.

De acordo com dados divulgados pela Fiocruz/Ministério da Saúde, nos estados fronteiriços ao Espírito Santo já foram identificadas:

  • Rio de Janeiro – 22 linhagens documentadas;
  • Minas Gerais – 15 linhagens documentadas;
  • Bahia – 11 linhagens documentadas.
  • Na principal ponte aérea com o Espírito Santo, o estado de São Paulo já documentou 36 linhagens distintas do SARS-COV-2.

A Sesa reforçou que o Brasil vive transmissão comunitária de diversas variantes do SARS-COV-2, todas as medidas conhecidas para conter a transmissão da doença devem ser reforçadas, independentemente da suspeita de contato com pacientes oriundos de outros estados.

Diante de qualquer sintoma, a Sesa reforça a necessidade de isolamento de sintomáticos suspeitos, avaliação médica imediata, testagem por RT-PCR e avaliação/monitoramento dos contatos assintomáticos.

Com Informações: G1 ES

Comentários Facebook