ES deve receber cerca de 100 mil doses de vacinas contra a Covid-19, diz governo estadual

Governador Renato Casagrande confirmou que estará no ato simbólico de recebimento das vacinas nesta segunda-feira (18), em São Paulo.

14
Uma enfermeira recebeu uma dose da vacina CoronaVac no Hospital das Clínicas, em São Paulo, depois que a Anvisa aprovou seu uso emergencial — Foto: Amanda Perobelli/Reuters

O Espírito Santo deve receber em torno de 100 mil doses das vacinas contra a Covid-19, que tiveram autorização de uso emergencial votado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) neste domingo (17). A informação é do governo estadual.

Nesta segunda-feira (18), acontecerá em São Paulo o ato simbólico de recebimento das vacinas. O governador Renato Casagrande (PSB) já informou que estará presente.

Logo após a aprovação do uso emergencial, Casagrande se pronunciou pelas redes sociais, dizendo que o Espírito Santo está preparado para dar início à vacinação assim que as vacinas chegarem ao estado.

Questionada a respeito do início da vacinação contra a Covid-19 no Espírito Santo, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) informou que, nesta segunda, será feita uma reunião da Coordenação Geral do Programa Nacional de Imunizações com as coordenações estaduais em imunização para discussão do cronograma de distribuição das vacinas Covid-19 e dos grupos prioritários.

Aprovação

O uso emergencial das vacinas Coronavac e da Universidade de Oxford contra a Covid-19 foi autorizado neste domingo (17) pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Segundo Leonardo Filho, estatístico da Anvisa, a eficácia da Coronavac é de 50,4%, em percentual arredondado. Segundo o gerente de Medicamentos, Gustavo Mendes, a eficácia da vacina de Oxford é de 70,42%.

O pedido sobre a Coronavac foi apresentado em 8 de janeiro pelo Instituto Butantan e é referente a 6 milhões de doses importadas, produzidas pela farmacêutica chinesa Sinovac. O Butantan também desenvolve a vacina no Brasil.

O pedido sobre a vacina de Oxford foi apresentado em 8 de janeiro pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e é referente a 2 milhões de doses importadas do laboratório Serum, da Índia, que produz a a vacina desenvolvida pela universidade do Reino Unido e pelo laboratório AstraZeneca. A Fiocruz também desenvolve a vacina no Brasil.

Com Informações: G1 ES

Comentários Facebook