Produção industrial do ES recuou -0,9% na passagem de outubro para novembro

No mês de novembro, pelo sétimo mês consecutivo, a produção física da indústria do Brasil cresceu 1,2% frente a outubro, na série com ajuste sazonal.

17
The man in the suit and the helmet holds the portable computer and shows up on the screen to the worker in overalls in an industrial building

Os dados da Pesquisa Industrial Mensal de Produção Física (PIM-PF) referente a novembro do ano passado foram divulgadas nesta quinta-feira (14) pelo IBGE. Conforme analisado pelo Instituto de Desenvolvimento Industrial do Espírito Santo (Ideies), a produção industrial do Espírito Santo caiu -0,9% em novembro frente a outubro, segundo mês de desempenho negativo consecutivo, na série livre dos efeitos sazonais.

Este resultado foi influenciado pela queda de -2,4% na indústria de transformação e contrabalanceado pelo aumento de 5,7% na indústria extrativa.  Ao contrário da média do país, o nível de produção da indústria geral capixaba ainda não retornou aos patamares de janeiro e fevereiro de 2020, período anterior à adoção das medidas de distanciamento social para combater a Covid-19.

No mês de novembro, pelo sétimo mês consecutivo, a produção física da indústria do Brasil cresceu 1,2% frente a outubro, na série com ajuste sazonal. Com isso, o setor se encontra 2,6% acima do nível registrado em fevereiro de 2020, continuando com a sua trajetória de recuperação em formato de “V”. As taxas positivas se estenderam a 17 das 26 atividades pesquisadas pelo IBGE. Com relação aos 14 estados pesquisados, 9 apresentaram expansão na produção industrial no mês. No acumulado de janeiro a novembro, a indústria nacional registrou uma queda de -5,5%.

“O ano de 2020 não se mostrou favorável para indústria, principalmente, para a do Espírito Santo que acumula uma queda de -15,9% até novembro.  Antes mesmo de passar pela crise econômica e sanitária causada pela pandemia de Covid-19, o setor já enfrentava uma sequência de problemas. Pensando no longo prazo, a melhora desse desempenho da indústria perpassa pelo aumento da produtividade, da reforma tributária, pela continuação dos investimentos de infraestrutura e a resolução de outros gargalhos que impactam a competitividade dessa atividade. Além disso, os novos prefeitos capixabas precisam ser proativos para a tração de novos investidores para seus municípios”, disse o economista-chefe da Findes e Diretor Executivo do Ideies, Marcelo Saintive.

Principais destaques do resultado da PIM-PF de novembro de 2020:

 A indústria geral recuou em todas as bases de comparação em novembro.

  • A indústria extrativa cresceu 5,7% na passagem de outubro para novembro, dados dessazonalizados. Todas as demais bases de comparação do setor registraram resultados negativos. 

    A indústria de transformação caiu -2,4% na passagem de mês, já desconsiderada a sazonalidade. Mas, se comparado com novembro de 2019, registrou a expressiva variação positiva de 14,3%. 

    A fabricação de celulose, papel e produtos de papel foi a única atividade com crescimento em todas as bases de comparação, a destacar a expansão de 70,1% na comparação contra novembro de 2019. Ressalta-se que esse ramo tem sido beneficiado pela retomada da demanda internacional por diversos tipos de papel e reverteu o quadro adverso do mercado do setor em 2019.

  • A fabricação de produtos alimentícios cresceu em três das quatro bases de comparação, com destaque para o aumento de 15,6% na comparação contra o mesmo mês de 2019.
  • A fabricação de produtos de minerais não-metálicos cresceu 1,8% na comparação novembro contra outubro de 2020 e 14,6% na variação em relação ao mesmo mês de 2019. A recuperação dessa atividade tem sido puxada pelo aquecimento da construção civil e pela melhora nas vendas externas de rochas ornamentais. 
  • Tabela – Variação (%) da Produção Industrial, Espírito Santo – novembro 2020

 

 

Nov 20/ Out 20*

 

 

Nov 20/ Nov 19

 

 

Acumulada no ano

 

 

Acumulada nos últimos 12 meses

 

 

Indústria geral

 

 

-0,9

 

 

-3,9

 

 

-15,9

 

 

-16,6

 

 

Indústrias extrativas

 

 

5,7

 

 

-26,0

 

 

-29,9

 

 

-30,7

 

 

Indústrias de transformação

 

 

-2,4

 

 

14,3

 

 

-3,6

 

 

-3,8

 

 

    Fabricação de produtos alimentícios

 

 

-0,5

 

 

15,6

 

 

4,6

 

 

6,2

 

 

    Fabricação de celulose, papel e produtos de papel

 

 

4,2

 

 

70,1

 

 

18,6

 

 

12,7

 

 

    Fabricação de produtos de minerais não-metálicos

 

 

1,8

 

 

14,6

 

 

-4,6

 

 

-3,9

 

 

    Metalurgia

 

 

-27,2

 

 

-13,0

 

 

-18,9

 

 

-19,0

 

 

(*) Dados com ajuste sazonal.

Fonte: IBGE. Elaboração: Ideies/Findes.

Confira na íntegra!

 

Comentários Facebook