Estado vai investir R$ 10 milhões na contratação de 35 projetos de pesquisa

O Governador Renato Casagrande destacou que a iniciativa serve de incentivo aos pesquisadores que atuam dentro dos órgãos públicos

29

O Governo do Estado assinou, nesta terça-feira (05), a contratação de 35 projetos de pesquisa de Avaliação de Políticas Públicas de Desenvolvimento Rural e da Pesca. Serão investidos R$ 10 milhões nas iniciativas que irão avaliar os impactos socioeconômicos e ambientais gerados a partir da adoção de tecnologias e do acesso às políticas públicas para o desenvolvimento sustentável da agricultura, pecuária, abastecimento, aquicultura e pesca.

Durante o anúncio da contratação, em transmissão ao vivo pelas redes sociais, o governador do Estado, Renato Casagrande, destacou a importância de investimentos em tecnologia, ciência e inovação. “Estamos finalizando a contratação desses projetos de incentivos à pesquisa. Nossas ações precisam estar baseadas em pesquisas científicas, embora hoje estejamos vivendo em um momento de negação à ciência. Nosso País concentra renda e patrimônio e é bom que a gente tenha ações públicas eficientes para diminuir a desigualdade”, pontuou.

Casagrande destacou ainda que a iniciativa serve de incentivo aos pesquisadores que atuam dentro dos órgãos públicos. “Estamos incentivando os profissionais de pesquisa. Quero aproveitar para parabenizar toda minha equipe que desenvolveu essa modelagem, dando oportunidade a todos, inclusive a quem nunca tinha participado de uma pesquisa científica, injetando ânimo em nossos servidores”, afirmou o governador.

Pesquisadores da Secretaria da Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca (Seag), do Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper) e do Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Espírito Santo (Idaf) apresentaram 95 projetos em 15 dos 17 temas.

A avaliação dos projetos foi feita com base nos critérios estabelecidos na Portaria nº 002-R, de 04 de fevereiro de 2020. Para tanto, foi instituída a comissão de avaliação, por meio da Portaria nº 049-S, de 30 de abril de 2020, composta por servidores da Seag, do Incaper, do Idaf, da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo (Fapes) e da Secretaria de Economia e Planejamento (SEP).

O secretário de Estado da Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca, Paulo Foletto, explicou que o Banco de Projetos é uma ação inovadora e só foi possível pela forte parceria entre o sistema agrícola e as instituições. Ele também destacou o empenho dos servidores que atuaram na concepção desse Banco de Projetos, na proposição e avaliação, bem como aqueles que submeteram seus projetos.

“São projetos nas principais cadeias produtivas do agronegócio e da pesca, tratando de todos os públicos e avançando nos eixos de comercialização, agroindustrialização, defesa agropecuária e recursos naturais. Certamente os projetos são extremamente importantes, tendo como resultado a difusão de tecnologias, a melhoria de processos e procedimentos, assim como a formação de profissionais e produtores e a mensuração dos impactos do conhecimento aplicado no campo”, disse Foletto.

“Tendo total apoio de um Governo que acredita na ciência, contamos com um grande time de servidores e instituições parceiras para inovar e colocar de pé o mais robusto programa de avaliação de políticas públicas de desenvolvimento rural e da pesca do Brasil. Em breve, teremos um sólido conjunto de evidências que nos permitirão melhorar continuamente nossos resultados”, completou o subsecretário de Estado de Aquicultura, Pesca e Desenvolvimento Rural Sustentável, Michel Tesch.

Para o diretor-presidente do Idaf, Mário Louzada, este é um importante espaço para o desenvolvimento de ideias inovadoras na área de defesa agropecuária. “O objetivo é promover ações que possam potencializar a preservação ou melhoria da saúde animal, da sanidade vegetal e da inocuidade, qualidade e segurança de alimentos, insumos e demais produtos agropecuários. Estamos muito felizes que o Idaf possa, com os demais órgãos parceiros, contribuir nesse processo”, declarou.

“O recurso investido pelo Governo do Estado representa um ganho gigantesco para o sistema agrícola do Espírito Santo. É um incentivo inédito que valoriza o trabalho em prol do desenvolvimento rural capixaba. Parabenizo a todos servidores do Idaf e Seag que pensaram e desenvolveram temas de pesquisa inovadores e, especialmente, aos servidores do Incaper que elaboraram 25 projetos selecionados para contratação”, completou o diretor-presidente do Incaper, Antônio Machado.

O diretor-presidente da Fapes, Denio Rebello Arantes, celebrou o esforço entre órgãos estaduais para elaborar o programa e alcançar esse resultado expressivo. “Essa iniciativa faz surgir um processo muito importante na Administração Estadual. Porque não basta apenas financiar projetos, mas também é necessário medir os resultados concretos. Dessa forma, nossa proposta abarca também a mensuração dos resultados para podermos entregar pesquisas que possam ser efetivamente aplicadas na vida real”, observou.

Acesse e conheça os projetos:  https://cutt.ly/mjdnC4g

Sobre o Banco de Projetos

O Banco de Projetos de Pesquisa da Seag consiste em desenvolver projetos relacionados aos impactos socioeconômicos e ambientais gerados a partir da adoção de tecnologias e do acesso às políticas públicas para o desenvolvimento sustentável da agricultura, pecuária, abastecimento, aquicultura e pesca.

Temas: Agroecologia e produção orgânica; Agroindústria e empreendedorismo rural; Aquicultura e pesca; Cafeicultura; Climatologia e estratégias de convivência com eventos extremos; Comercialização e mercados; Comunicação para o desenvolvimento rural; Defesa sanitária e inspeção (animal e vegetal); Desenvolvimento socioeconômico de populações do meio rural e da pesca; Fruticultura; Olericultura; Pecuária; Pipericultura; Produtos com qualidade vinculada à origem (indicações geográficas, marcas coletivas ou produtos tradicionais, regionais ou artesanais); Recursos naturais, controle florestal e licenciamento ambiental de atividades agropecuárias; Silvicultura, Terras e Cartografia.

O Banco de Projetos foi realizado pela Seag em parceria com o Idaf, Incaper, Fapes, Secretarias de Ciência, Tecnologia, Inovação, Educação Profissional (Secti) e de Economia e Planejamento (SEP), Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN), Fundação Getúlio Vargas – Iniciativa Clear.

Informações à Imprensa:
Assessoria de Comunicação do Governo

 

Comentários Facebook