Investimento milionário da Garoto contrasta com desvalorização do trabalhador

Chocolates Garoto anuncia R$ 200 milhões em ampliação e 4.0, mas quer cortar 50% no ticket-alimentação dos empregados

29

O anúncio de investimento milionário feito pela Chocolates Garoto para os anos de 2020 e 2021 contrasta com a política de desvalorização do trabalhador executada desde a compra da tradicional fábrica capixaba pela multinacional Nestlé, a maior empresa de alimentos do mundo há uma década.

Serão aplicados R$ 200 milhões em ampliação e modernização da fábrica em Vila Velha, segundo comunicado feito em solenidade virtual realizada nessa terça-feira (8), no dia do aniversário da capital Vitória, com a presença do governador Renato Casagrande (PSB); do secretário de Governo, Tyago Hoffmann; do secretário de Desenvolvimento, Marcos Kneip; do secretário de Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca, Paulo Foletto; da presidente da Federação das Indústrias (Findes), Cris Samorini; do presidente da Espírito Santo em Ação, Fábio Brasileiro; e do vice-presidente da Fibrasa, Léo Castro.


Em contraste com a pompa do evento, em reunião com o Sindicato dos Trabalhadores em Alimentação do Espírito Santo (Sindialimentação/ES) nesta quarta-feira (9), a direção da empresa insiste na tentativa de cortar pela metade o valor do ticket-alimentação dos empregados e em não pagar a Participação nos Lucros e Resultados (PLR) de 2019.

“É ótimo que ela faça investimentos no Espírito Santo, que transforme a empresa em 4.0, mas o mínimo a fazer ao investir é valorizar os trabalhadores que sustentam, que são o pilar dessa fábrica!”, reivindica a presidente do sindicato, Linda de Morais.

“Esse ticket é um salário indireto e atinge diretamente a mesa do trabalhador, a família. Os cargos de gerente, de gestor não têm. Vai atingir aquele pessoal para quem o ticket faz uma diferença enorme no final do mês, vai cortar na carne de quem mais precisa”, explica a sindicalista.

Na nova etapa da longa negociação dos acordos coletivos, o sindicato abriu mão da integralidade da correção do ticket pelo INPC [Índice Nacional de Preços ao Consumidor], apresentando, como contraproposta, a correção com apenas metade do índice, mas sobre o valor atual, além de não abrir mão do PLR. “Que entregue ao trabalhador a parte que lhe é de direito”, enfatiza.

O investimento
Os investimentos anunciados, informa a Garoto, incluem o lançamento de novos itens de portfólio e a modernização e ampliação da fábrica em Vila Velha. A planta local vai receber um novo prédio para abrigar duas novas linhas de produção. Uma delas será dedicada à fabricação da caixa amarela de bombons da marca e outra linha para produção de itens para acondicionar os chocolates em embalagens para varejo. Com o início dessas operações, previsto para o primeiro semestre de 2021, a empresa promete a geração de 70 novos postos de trabalho.

Já a modernização da unidade fabril atende ao conceito de indústria 4.0 e, segundo a Garoto, visa torná-la mais digital e conectada.

“Para as novas linhas que vamos inaugurar em 2021, por exemplo, vamos trazer tecnologias inéditas para fábricas de chocolate na América Latina, com uso de internet das coisas (iOT) e big data para monitoramento e manutenção das operações. Foi um projeto totalmente concebido com esse conceito de transformação digital desde o princípio, declarou, na ocasião, o vice-presidente de Chocolates da Nestlé e Garoto, Liberato Milo.

A Garoto

A Chocolates Garoto, localizada em Vila Velha (ES), é uma das 10 maiores fábricas de chocolates do mundo e uma das unidades mais rentáveis da gigante Nestlé. A empresa conta hoje com um portfólio de aproximadamente 70 produtos e tem cerca de 1,3 mil empregados.
Com Informações: Século Diário
Comentários Facebook