CRM-ES quer apurar vazamento de informação sobre criança estuprada

O alvo principal é o Hospital das Clínicas onde médicos recusaram fazer aborto permitido pela Justiça.

47
Hospital das Clínicas,em Vitória, onde a menina não pode fazer aborto.

O Conselho Regional de Medicina do Espírito Santo (CRM-ES) investigará a suspeita de vazamento de informações médicas sigilosas da menina de 10 anos vítima de estupro, como também o pedido formal que chegou ontem (20/08) ao Conselho solicitando avaliação do atendimento médico à menor, realizado no Hospital Universitário Cassiano Antônio Moraes (Hucam), também conhecido como Hospital das Clínicas, em Maruípe, Vitória.

As notícias relativas ao vazamento de informações médicas sigilosas são de extrema gravidade e compete ao Conselho apurar se houve envolvimento médico. No que diz respeito à denúncia recebida formalmente, ela foi feita por uma deputada de São Paulo ao Conselho Federal de Medicina (CFM), que encaminhou para o CRM-ES, já que a apuração deve ser feita pelo regional do estado onde o fato denunciado ocorreu.

O CRM-ES, por meio do seu Tribunal de Ética, irá apurar os fatos em questão, o que ocorre em sigilo. Todos os trâmites da investigação serão realizados no menor prazo possível.

Assessoria de Imprensa do CRM-ES

 

Comentários Facebook