Alcon, maior empresa de álcool do Norte do ES, já pensa em demitir

Crise da Covid-19 ameaça alcooleira, em Braço do Rio, Conceição da Barra a reduzir a folha de pessoal, com inevitável demissão. A Alcon exerce um excelente serviço social na comunidade em seu entorno.

1690
Alcon está localizada no município de Conceição da Barra

A Alcon, maior indústria de álcool do Norte do Espírito Santo e uma das grandes do |País, está sentindo no caixa os efeitos da crise provocada pelo Coronavíros e não descarta a demissão de funcionários em breve. Atualmente a Alcon, que fica em Braço do Rio, Conceição da Barra, oferece entre 1.4 mil a 1.8 mil empregos diretos e indiretos, mas estes números sofrem forte ameaça em reduzir.

Responsável pelo fornecimento de álcool para grandes indústrias brasileiros, a Alcon, que também produz açúcar,  precisou fazer uma redução drástica no preço do produto devido à queda nas vendas, segundo revelou Nerzy Dalla Bernardina Júnior, da família que mais emprega no Norte neste ramo de serviço.

“Não temos uma noção até agora de quantas pessoas seriam necessárias demitir, mas pelo que temos observado e enfrentado com a crise, vai chegar o momento de termos de conter os gastos a começar com o corte na folha de pagamento, que significa demissão”, adiantou admitindo que se a crise perdurar pelos próximos dois meses será inevitável a demissão.

A situação da Alcon se confirmar a demissão vai refletir substancialmente na economia do município de Conceição da Barra que já passar por turbulência na questão política que se agravou com a cassação do mandato do prefeito Francisco Bernard Vervloet, o Chicão e passou a ser administrado pelo vereador e então presidente da Câmara Mateusinho.

Chicão ainda mantém a esperança de retomar o posto, o que depende do Tribunal Superior Eleitoral, chance considerada remota pelo advogado José Peres de Araújo que defende o PMN, partido que provocou a queda do prefeito.

TEXTO: HILMAR DE JESUS

Comentários Facebook