Doméstica assassinada e enterrada nos fundos de casa

Alessandra teria saído de casa e dito aos filhos que não voltaria mais, O corpo estava enterrado e coberto com folhas de bananeira, com cortes no pescoço, pés e mãos amarrados.  

247
Corp ode Alessandra estava enterrado nos fundos de casa.

A empregada doméstica Alessandra de Souza Pereira Lima, de 27 anos, foi assassinada possivelmente na noite de sexta-feira, e teve o corpo enterrado nos fundos de casa no Bairro Normília da Cunha, em Vila Velha. Ela estava desparecida desde sexta-feira última e o corpo foi encontrado por um caseiro da região, no domingo (22). A cabeça estava enrolada com uma sacola plástica.

Vizinho ainda tentaram invadir a casa da família do marido de Alessandra, com ameaça de linchamento, mas foram contidos. A polícia investiga o caso, mas mantém sigilo. O local que o corpo se encontrava, estava coberto de folhas de bananeira.

Nos levantamentos realizados preliminarmente, a polícia apurou que o marido de Alessandra e membros da família tem o vício de usar drogas, como Crack e teriam interesse na morte da empregada para ficar com a herança dela. Uma parente do pedreiro disse que jamais a família cometeria um mal à doméstica.

De acordo com o que ficou apurado ainda no local, na manhã de sexta-feira Alessandra teria saído de casa para trabalhar e dito aos filhos que não voltaria mais. Mas essa versão não foi confirmada pela família dela.

O que chama a atenção da polícia é que o marido Cláudio Lima de Souza Pereira, de 37 anos, disse que chegou a rastrear pelo celular o trajeto que a mulher teria feito até o Bairro Ulisses Guimarães, depois que saiu de casa. O corpo já se encontrava em adiantado estado de decomposição quando foi encontrado por um caseiro.

TEXTO: HILMAR DE JESUS

Comentários Facebook