TUNICO DA VILA LANÇA NOVO EP COM PARTICIPAÇÕES DE PÉRICLES E ANA CLARA

Tunico da Vila começou sua carreira como músico percussionista aos 20 anos de idade, tocou e gravou com diversos artistas como Beth Carvalho, Emílio Santiago, Leila Pinheiro e seu pai Martinho da Vila.

40
Foto: André Leão

O sambista Tunico da Vila lança na próxima sexta-feira, dia 6, meia-noite, em todas plataformas digitais de música, seu novo EP Cadê Você Cavaquinho? A proposta do artista é apresentar seu samba contemporâneo, que alia sua musicalidade a experiências ligadas ao seu pertencimento cultural. Ele conversa musicalmente com o seu público por meio de canções autorais irreverentes, com raízes fincadas no partido-alto e na sua “brasilidade africana”.

Na faixa que dá nome ao trabalho, ele clama com irreverência à volta do instrumento do samba de raiz, o cavaquinho, e traz o amigo Péricles para a roda de bambas. Em “Iakalaiá”, um semba, ritmo africano e irmão do samba, que Tunico aprendeu a admirar, tocar e cantar por suas andanças em Angola, a sua Vila Isabel do outro lado do Atlântico. A água sagrada também está presente em “Rio de Fé”, um samba maxixado e sensual, dividindo a interpretação saborosa com a cantora da nova geração Ana Clara. “De fato e de Direito” é uma saudação, quase um brinde de amor à terra santa do sambista, Vila Isabel, a Vila de Tunico, Martinho e Noel.

“Foi um processo de criação que se deu após um momento muito triste da minha vida, que foi a perda da minha filha. As músicas são reflexões minhas acerca do meu universo, do samba que aprendi, de experiências, nas mais de duas décadas que rodei esse mundão, o que vi e vivi. São composições minhas com encontros que me senti muito à vontade e que aconteceram num momento especial que me sinto mais preparado para encarar a missão de cantar minha cultura. O Pericão é um amigo de longa data, tínhamos preparado esse encontro anos atrás, sempre fui aberto, nunca tive preconceito com o samba de São Paulo, tenho muitos amigos lá, compreendo samba como sendo oriundo da África, patrimônio do Brasil e que cada canto do país faz e canta samba de uma forma. A Ana Clara foi uma amizade recente que fizemos na gravação de um DVD no Rio, ela é catarinense e canta samba de forma encantada”.

Tunico da Vila começou sua carreira como músico percussionista aos 20 anos de idade, tocou e gravou com diversos artistas como Beth Carvalho, Emílio Santiago, Leila Pinheiro e seu pai Martinho da Vila. Gravou dois álbuns, “Tunico Ferreira” (2003) e “Na Cadência do Partido-Alto” (2009), o EP “O Velho de Oiá” (2017) e os Singles (2019) “Quero, Quero”,“ Madalena do Espírito Santo”, “É dia de Rede no Mar” e “Que Paixão tão linda é essa”. Tunico da Vila é artista da Sony Music Brasil e foi indicado ao Prêmio Profissionais da Música Brasileira 2019 na categoria samba.

Texto: Ferreira Sathler

 

 

Comentários Facebook