Crianças podem curtir o Carnaval?

A presença de crianças em blocos durante a folia tem aumentado. Especialista dá dicas para garantir a saúde dos pequenos

25
FOTO: DIVULGAÇÃO

Carnaval é sinônimo de alegria! E uma das opções de diversão na folia é o desfile dos blocos carnavalescos, que contam cada vez mais com a presença de crianças e adolescentes. Mas, para que a comemoração não se transforme em um grande problema, o pediatra e especialista em saúde infantil Jovarci Motta alerta: os pais devem tomar alguns cuidados durante a folia.

Jovarci Motta vê com bons olhos a presença de crianças e adolescentes na folia, pois, além de servir como uma atividade recreativa para a família, o carnaval também contribui para a socialização das crianças e inserção e valorização de nossa cultura. Mas o especialista destaca que nesta época do ano é comum aparecerem vários tipos de doenças, como dermatites, coceiras, entre outras. “É importante evitar consumir alimentos em que os padrões de higiene e condicionamento não são respeitados. Cuidado também com as lesões de pele, como a dermatite alérgica, candidíase e brotoejas. Para isso, evite roupas e máscaras sintéticas, dê preferência para maquiagens a base de água e específica para crianças”, diz.

O médico ressalta que é muito importante se atentar à alimentação dos pequenos. “Por ser um período quente, as diarreias e a desidratação são comuns, especialmente devido ao consumo de alimentos de procedência duvidosa nas ruas. Por isso, dê preferência a produtos frescos, como frutas, ou que trazem pouco risco de contaminação, como as barras de cereal e água mineral”, reforça o especialista.

Ele destaca que os pais também devem se atentar às vestimentas das crianças, já que neste período o calor aumenta consideravelmente. “Procure roupas e calçados leves, arejados e frescos, evitando produtos emborrachados, além de acessórios ou adereços pontiagudos ou de superfície fina, como lantejoulas, pois trazem um risco a integridade da pele devido a possibilidade de quedas durante a folia. Busque também preservar a intimidade da criança”, alerta Motta.

Segurança

Durante o carnaval o índice de crianças perdidas é bem alto. Por isso, Motta recomenda que os pais busquem espaços seguros e compatíveis com a idade das crianças. “Blocos infantis são ideais e mais seguros. Nos blocos adultos há um risco maior de brigas e confusões, facilitado pelo consumo de bebidas alcoólicas e outros tipos de drogas. Além disso, fuja de ambientes muito aglomerados (exposição maior a doenças e tumultos) e barulhentos (poluição sonora). E, para evitar maior dor de cabeça, lembre se de identificar a criança com pulseira contendo o nome e contato dos cuidadores”, orienta o pediatra Jovarci Motta.

Mantenha a rotina

Crianças precisam ter o horário do sono respeitado, medida que aumenta o rendimento e diminui a irritação dos pequenos. E os responsáveis devem ficar atentos se haverá alteração no comportamento do menor. Qualquer sinal de inquietude precisa ser percebido. “É importante que seja um sono restaurador e que atenda quantitativamente e qualitativamente a etapa da vida de cada criança, possibilitando “recarregar” a bateria biológica para a folia no dia seguinte. É preciso que aparelhos eletrônicos sejam desligados 30 minutos antes do horário de dormir, um hábito saudável e promotor do bom sono”, finaliza o especialista.

Texto: Márcia Almeida

Comentários Facebook