Dia do leitor: é preciso incentivar nas crianças o prazer da literatura

Veja exemplos inspiradores de apaixonados por livros

39
Que graça teria para um escritor criar livros se não existissem os leitores para apreciar as suas histórias? Pois hoje é o Dia do Leitor, data dedicada às pessoas que amam a literatura. É uma oportunidade para refletir se estamos dedicando tempo à leitura e também se estamos incentivando nas crianças o prazer da literatura. Professora de Educação Infantil no colégio Andrews, Fabiane Martins estimula a filha Amanda a viajar nesse universo. “A leitura é a fonte do prazer e do saber”, garante a educadora. Seu marido, Humberto, acrescenta que a leitura transporta ao passado e ao futuro. Ele diz que, em casa, apresenta gibis à filha. “É uma leitura de nosso tempo e que considero fácil e prática. Um bom começo”, sugere. Hábito da leitura no Brasil Os números mostram que ainda há muito espaço para cativar novos leitores no país. Entre 2011 e 2015, a estimativa de brasileiros que consomem livros passou de 50% para 56%, totalizando 104,7 milhões de pessoas. A quantidade anual média de livros lidos por habitante passou de 4 para 4,96. Esses dados estão na última edição da pesquisa "Retratos da Leitura no Brasil", de 2016 — realizada pelo Instituto Pró-Livro. A próxima edição será divulgada ainda em 2020. Incentivo na infância A escritora capixaba Isa Colli diz que é fundamental criar o hábito da leitura na infância. “Mesmo antes de ser alfabetizada, a criança já pode se familiarizar com os livros. Basta apresentar opções adequadas para cada idade. Bebês, por exemplo, curtem livros com muitas figuras, pouco texto, com texturas e sons. Na medida em que crescem, vão tomando gosto pelas histórias maiores”, afirma. A leitura desenvolve a imaginação, estimula a memória e nos permite viagens a diferentes mundos e culturas. Livros também agregam conhecimento à vida de uma pessoa. Esse é o objetivo da escritora Nina Maria. Ela cria livros didáticos infantis de inglês, com muitas histórias e personagens. E para se inspirar, tem que ler muito. “Leitura é parte do meu trabalho”, ressalta. Para a professora aposentada Edi Ribeiro, o mundo se torna mais interessante e criativo através da leitura: “eu imagino cada parte do que estou lendo... colorido”. Para Carlos Ribeiro, o livro abre um leque de possibilidades. “A leitura é o caminho mais curto para a liberdade”, garante. Curiosidade O Dia do Leitor é uma homenagem à fundação do jornal cearense “O Povo”, criado em 7 de janeiro de 1928 pelo poeta e jornalista Demócrito Rocha. Nesse jornal, que ficou conhecido por combater a corrupção e divulgar fatos políticos, existia um suplemento chamado “Maracajá”, que se tornou um espaço de divulgação do movimento modernista literário cearense na época. Demócrito Rocha pertenceu à Academia Cearense de Letras, e morreu em Fortaleza no dia 29 de novembro de 1943. Crédito: Divulgação Image Escritora Capixaba Isa Colli percorre escolas com atividades lúdicas para incentivar nas crianças o hábito da leitura
Que graça teria para um escritor criar livros se não existissem os leitores para apreciar as suas histórias? Pois hoje é o Dia do Leitor, data dedicada às pessoas que amam a literatura. É uma oportunidade para refletir se estamos dedicando tempo à leitura e também se estamos incentivando nas crianças o prazer da literatura. Professora de Educação Infantil no colégio Andrews, Fabiane Martins estimula a filha Amanda a viajar nesse universo. “A leitura é a fonte do prazer e do saber”, garante a educadora. Seu marido, Humberto, acrescenta que a leitura transporta ao passado e ao futuro. Ele diz que, em casa, apresenta gibis à filha. “É uma leitura de nosso tempo e que considero fácil e prática. Um bom começo”, sugere.
Hábito da leitura no Brasil
Os números mostram que ainda há muito espaço para cativar novos leitores no país. Entre 2011 e 2015, a estimativa de brasileiros que consomem livros passou de 50% para 56%, totalizando 104,7 milhões de pessoas. A quantidade anual média de livros lidos por habitante passou de 4 para 4,96. Esses dados estão na última edição da pesquisa “Retratos da Leitura no Brasil”, de 2016 — realizada pelo Instituto Pró-Livro. A próxima edição será divulgada ainda em 2020.
Incentivo na infância
A escritora capixaba Isa Colli diz que é fundamental criar o hábito da leitura na infância. “Mesmo antes de ser alfabetizada, a criança já pode se familiarizar com os livros. Basta apresentar opções adequadas para cada idade. Bebês, por exemplo, curtem livros com muitas figuras, pouco texto, com texturas e sons. Na medida em que crescem, vão tomando gosto pelas histórias maiores”, afirma.
A leitura desenvolve a imaginação, estimula a memória e nos permite viagens a diferentes mundos e culturas. Livros também agregam conhecimento à vida de uma pessoa. Esse é o objetivo da escritora Nina Maria. Ela cria livros didáticos infantis de inglês, com muitas histórias e personagens. E para se inspirar, tem que ler muito. “Leitura é parte do meu trabalho”, ressalta.
Para a professora aposentada Edi Ribeiro, o mundo se torna mais interessante e criativo através da leitura: “eu imagino cada parte do que estou lendo… colorido”.
Para Carlos Ribeiro, o livro abre um leque de possibilidades. “A leitura é o caminho mais curto para a liberdade”, garante.
Curiosidade
O Dia do Leitor é uma homenagem à fundação do jornal cearense “O Povo”, criado em 7 de janeiro de 1928 pelo poeta e jornalista Demócrito Rocha. Nesse jornal, que ficou conhecido por combater a corrupção e divulgar fatos políticos, existia um suplemento chamado “Maracajá”, que se tornou um espaço de divulgação do movimento modernista literário cearense na época. Demócrito Rocha pertenceu à Academia Cearense de Letras, e morreu em Fortaleza no dia 29 de novembro de 1943.
Comentários Facebook