Dia do Médico da Saúde da Família e Comunidade: Profissionais selecionados começam os atendimentos nas próximas semanas

Editais lançados pelo ICEPi visam preencher 476 vagas para médicos, enfermeiros e cirurgiões-dentistas, que vão atender aos 76 municípios capixabas que aderiram à proposta do programa.

26
Quelen Tanize Alves da Silva, diretora geral do ICEPi 

Nesta quinta-feira (05) comemora-se o Dia do Médico da Saúde da Família e Comunidade, especialidade estratégica para um atendimento focado na relação médico-paciente.

Esse profissional é o especialista em pessoas e acompanha seus pacientes ao longo de toda trajetória clínica, criando vínculo com a comunidade onde realiza os atendimentos. Ele se destaca por avaliar o histórico do paciente de forma integral, para gerar um diagnóstico mais adequado e preciso.

Para realizar essa aproximação entre médico e paciente, um novo modelo de gestão para a saúde do Espírito Santo foi apresentado pela Secretaria da Saúde (Sesa). Trata-se do Programa de Qualificação da Atenção Primária à Saúde, que tem o objetivo de inovar e qualificar o atendimento aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) no Estado.

Dentro do pacote de ações do Programa, três estão relacionadas à área da formação profissional e provimento, além da seleção de médicos para o Programa Estadual de Formação de Especialistas para o SUS e para a contratação de médicos supervisores especialistas em Medicina de Família e Comunidade, que irão atuar no corpo docente do Instituto Capixaba de Ensino, Pesquisa e Inovação em Saúde (ICEPi).

De acordo com a diretora geral do ICEPi, Quelen Tanize Alves da Silva, a partir do momento em que a Atenção Básica tem um bom atendimento, ela se torna resolutiva para basicamente 85% do que a população procura.

Para isso, o ICEPi abriu, em outubro, um edital para o preenchimento de 476 vagas, sendo 241 para médicos, 128 enfermeiros e 107 cirurgiões-dentistas, que vão atender aos 76 municípios capixabas que aderiram à proposta do programa. Este programa dará a oportunidade de os profissionais participarem de cursos de pós-graduação nas suas áreas, com o desenvolvimento de atividades de práticas assistenciais nos municípios.

De acordo com a diretora geral do ICEPi, a iniciativa visa cooperar com o provimento de profissionais de saúde para reduzir as desigualdades regionais e ampliar a cobertura e a resolutividade da Atenção Primária à Saúde. Para Quelen Tanize Alves da Silva, a adesão de quase a totalidade dos municípios capixabas mostra o apoio ao programa, que terá como um de seus objetivos reverter a constante queda na cobertura da Estratégia de Saúde da Família.

“Com isso teremos consequentemente a melhoria dos indicadores de saúde no Espírito Santo e a soma positiva na melhoria da prestação de serviços à população”, afirmou.

Histórico da Medicina de Família e Comunidade

A Medicina de Família e Comunidade começou no Brasil em meados da década de 1970, com o movimento da saúde comunitária, e junto do Programa de Agentes Comunitários de Saúde foi uma das bases para a criação da Estratégia Saúde da Família (PSF) nos anos 1990. Tanto a estratégia do Sistema Único de Saúde (SUS) quanto a especialidade médica se encontram em franca expansão.

A Saúde da Família tem mais de 30 mil equipes, atendendo mais da metade da população brasileira no SUS.

O ICEPi

O Instituto Capixaba de Ensino, Pesquisa e Inovação em Saúde (ICEPi), é responsável por um conjunto de políticas de inovação em saúde. Com ele, a Sesa passa a investir de maneira robusta na qualificação e modernização das práticas de cuidado da rede própria e no apoio aos municípios, criando um amplo movimento de formação de serviço de Médicos de Família e Comunidade e de especialistas.

O Instituto tem como objetivo reestruturar a atenção em saúde no Estado com fortalecimento das gestões municipais, atuando na resolução e na qualificação do cuidado em saúde para ampliar o acesso da população.

Foto: Divulgação Sesa/ES – Ascom/Sesa

Informações à imprensa

Assessoria de Comunicação da Sesa

Comentários Facebook