Comissão de Segurança: Roubos e indefinição da Guarda Municipal incomodam população de São Mateus

Os homicídios estão tendo queda em São Mateus. De 1º janeiro a 19 de novembro deste ano, foram 33, contra 51 do mesmo período do ano passado.

50

Os crimes contra o patrimônio e a indefinição sobre o funcionamento da Guarda Civil Municipal de São Mateus são alguns dos problemas relacionados à segurança que mais incomodam os moradores do município.

As reclamações foram apresentadas ao presidente da Comissão de Segurança e Combate ao Crime Organizado da Assembleia Legislativa, presidida pelo deputado Delegado Danilo Bahiense (PSL), durante audiência pública do colegiado na noite dessa quarta-feira (20), no auditório do Sesc, no centro mateense, data que celebrou o Dia da Consciência Negra e da transferência simbólica da capital capixaba para São Mateus.

Lojistas, lideranças religiosas e locais, como o vereador Amaro, clamaram por “socorro” na segurança e corroboraram por ações mais enérgicas no combate a roubos e furtos no comércio, bem como no campo. Também foram lembradas de medidas na educação e distribuição de renda para a redução da violência.

O padre Patric, da Diocese de São Mateus, fez uma “súplica” para medidas construtivas e, não, eleitoreiras para a prevenção de delitos na região. Outro cerne do debate foi a questão da Guarda Civil Municipal, que ainda não vem atuando eficazmente em solo mateense.

“Nos foi informado que duas viaturas foram doadas pela Polícia Civil à Guarda Municipal da cidade, mas estão sendo usadas para outros fins e isso vai ser cobrado pela Comissão de Segurança. A segurança, claro, é dever do Estado, com suas polícias. Mas o município, com seus poderes executivos e legislativos, pode fazer o seu dever de casa, como tendo um Gabinete de Gestão Integrada para a discussão da segurança e, também, promovendo atos que possam, dentro de suas possibilidades, estabelecer suas guardas municipais”, afirmou Danilo Bahiense.

Bahiense lembrou do protocolo de intenções assinado, no último dia 30 de outubro, entre a Comissão de Segurança da Assembleia Legislativa e a Associação das Câmaras Municipais e Vereadores do Espírito Santo (Ascamves), e encaminhou ao presidente do Poder Legislativo mateense, Jorginho Cabeção, que foi um dos solicitantes da audiência pública, junto com o vereador Jozail do Bombeiro, ambos do PTB.

“O protocolo mostra como o município pode ser protagonista com a criação de um conselho de segurança e de um gabinete gestão integrada municipal; fazendo a melhoria da iluminação pública; adotando o cerco eletrônico inteligente, entre outras medidas”, emendou o deputado Delegado Danilo Bahiense.

Moradores solicitaram no evento melhorias no videomonitoramento, maior quantidade de efetivo nas Polícias Civil e Militar e, também, no Corpo de Bombeiros. A partir da reunião, que contou com as presenças dos parlamentares estaduais Freitas e Delegado Lorenzo Pazolini, a Comissão de Segurança irá concluir um relatório e encaminhar para as devidas autoridades.

Figuras repetidas

A audiência pública também revelou um cenário de noção de impunidade. Segundo dados repassados pelo comandante do 13º Batalhão (São Mateus), tenente-coronel Mateus Garcia Pereira, 1.210 prisões foram efetuadas de 1º janeiro a 19 de novembro deste ano, na jurisdição do batalhão, que cobre, além da cidade mateense, Conceição da Barra, Jaguaré e Pedro Canário. Dessas 1.210, aproximadamente a metade foi de suspeitos que já tinham cometido crimes anteriores (602).

“Mostra o sentimento de impunidade dos bandidos e de leis frouxas e antigas que acabam dando novas oportunidades para o cometimento de mais crimes que mais afetam a população, como furtos e assaltos. É lamentável”, disse Danilo Bahiense.

O tenente-coronel Mateus completou que os dados consolidados da Secretaria de Estado da Segurança Pública apontam para uma média de quatro crimes contra o patrimônio por dia na região e que os delitos estão em queda, embora a percepção da população esteja mais aguçada quanto aos fatos. “As pessoas de bem sentem o crime contra o patrimônio, porque tira tudo aquilo que ela trabalhou. Tem-se dado mais atenção a isto”, explicou o comandante.

Os homicídios estão tendo queda em São Mateus. De 1º janeiro a 19 de novembro deste ano, foram 33, contra 51 do mesmo período do ano passado. Conceição da Barra também traz essa tendência de decréscimo, com 15 registros em 2019 e outros 16, em 2018.

Já Jaguaré e Pedro Canário destoam. O primeiro município acumula 19 crimes contra a vida em 2019 (contra 14 de 2018) e, o segundo, apresenta 13 (sendo que no ano passado foram oito).

 

Município Homicídios
em 2018
Homicídios
em 2019
São Mateus 51 33
Conceição da Barra 16 15
Jaguaré 14 19
Pedro Canário 8 13

Observação: período analisado vai de 1º de janeiro a 19 de novembro.

FOTO: HILMAR DE JESUS 

Comentários Facebook