Só Petrobras aposta no megaleilão do pré-sal; arrecadação é 30% menor que a prevista

12
Foto: Divulgação

Sem concorrência e com lances mínimos, a Petrobras arrematou duas das quatro áreas oferecidas pelo governo no megaleilão do pré-sal nesta quarta (6). Na maior delas, teve parceria com as estatais chinesas CNOOC e CNODC. As outras duas áreas não tiveram interessados, frustrando a previsão de arrecadação de R$ 106 bilhões com a oferta. Ao fim do leilão, o valor arrecadado ficou em R$ 69,9 bilhões. Ainda assim, o governo considerou o resultado um sucesso.

O consórcio formado por Petrobras e pelos chineses pagará R$ 68,2 bilhões pelo direito de explorar a área de Búzios, a maior descoberta de petróleo do país. As empresas ofereceram o lance mínimo de 23,24% em óleo para o governo.

Nos leilões de pré-sal, o bônus de assinatura é fixo e a disputa se dá pela oferta de petróleo ao governo durante a vida útil dos contratos.
Não houve lance por Sépia, a terceira área que foi oferecida, nem por Atapu, a quarta e última. A Petrobras será responsável por quase todo o valor arrecadado. Os chineses, que têm 10% do consórcio vencedor em Búzios, contribuirão com R$ 6,8 bilhões.

Já no início do leilão, o mercado financeiro reagiu mal à preponderância da estatal e à ausência das grandes petroleiras privadas -das 14 inscritas, apenas 7 apareceram nesta quarta.

As ações ordinárias da Petrobras despencaram num breve período de dez minutos. Foram de uma alta de 3%, quando se iniciava a apresentação do leilão, para uma queda de mais de 3% logo após a divulgação do resultado de Búzios, a primeira área. Já as preferenciais também avançavam mais 3% e recuaram a mais de 1% com a divulgação. Pouco depois do meio-dia, os papeis se recuperavam.

Em entrevista após o leilão, o presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, disse estar feliz com o resultado e minimizou a queda das ações, afirmando que a empresa tem condições de realizar o investimento sem aumentar sua dívida. A Petrobras, que já tem direito a produzir na área de Búzios, tem 90% do consórcio vencedor. As duas chinesas dividem igualmente os 10% restantes. Isso significa que a estatal pagará 90% do bônus. Eles se comprometeram a entregar ao governo 23,24%, o mínimo estabelecido no edital.

Localizada na Bacia de Santos, Búzios é considerada a maior descoberta brasileira de petróleo, com reservas que podem chegar a 13 bilhões de barris, quase o mesmo volume que o Brasil tem hoje em reservas provadas. A área já tem quatro plataformas em operação e produziu, em setembro, 406 mil barris de petróleo por dia. Foi a segunda maior produtora do país, atrás apenas de Lula, também na Bacia de Santos.

Em entrevista após o leilão, o governo minimizou a ausência das petroleiras estrangeiras e disse que os resultados ficaram dentro do esperado. “Hoje foi um dia marcante, simbólico, de muito sucesso”, disse o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque. Ele ressaltou que o valor arrecadado é maior do que todos os bônus já pagos em leilões de petróleo no Brasil. “É um motivo de muito orgulho para o governo Bolsonaro”, afirmou.

Estavam presentes, além de Albuquerque, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, a secretaria especial do PPI (Programa de Parcerias e Investimentos), Martha Seiller, o ministro do TCU (Tribunal de Contas da União), Raimundo Carreira, e o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ)
“Foi um sucesso porque foi o maior leilão já arrecadado, com o maior bônus e principalmente porque foi capaz de destravar arrecadação e investimento”, afirmou o diretor geral da ANP, Décio Oddone.

A falta de interessados em duas áreas reduz os valores que o governo dividirá com estados e municípios. Dos cerca de R$ 70 bilhões, R$ 34,2 bilhões serão repassados à Petrobras como ressarcimento por mudanças no preço do petróleo após a assinatura do contrato de cessão onerosa.
A União ficará com R$ 23 bilhões, e estados e municípios dividirão, cada grupo, R$ 5,3 bilhões. Localizado em frente às reservas, o Rio terá R$ 1,1 bilhão.

Presente ao evento, o presidente da Shell Brasil, André Araújo, disse que a empresa considerou as áreas caras. “A companhia tem uma disciplina de capital muito grande”, afirmou. Ele não descartou, porém, participação em leilão nesta quinta (7), quando o governo oferece cinco áreas exploratórias no pré-sal, com bônus acumulado de R$ 7,85 bilhões. “Amanhã é amanhã. É um novo dia, são novos blocos.”

Nesta quinta (7), o governo realiza novo leilão do pré-sal, com a oferta de cinco áreas exploratórias com bônus de assinatura total de R$ 7,85 bilhões. Há um mês, em leilão de áreas fora do pré-sal, o governo arrecadou R$ 8,9 bilhões, recorde para este tipo de leilão no país.

Com Informações: FolhaPress Nicola Pamploma

Comentários Facebook