Evento em Nova Venécia marca instalação do último Conselho Regional de Desenvolvimento

29

A cidade de Nova Venécia recebeu, nesta quinta-feira (19), a implantação do Conselho Regional de Desenvolvimento da Região Noroeste.  Este é o último conselho a ser instituído, dentro do cronograma de ações previstas no Plano Regional de Desenvolvimento do Governo do Estado. O prefeito de Nova Venécia, Lubiana Barrigueira; e o prefeito de Barra de São Francisco, Alencar Marinho, responderão como presidente e vice-presidente do Conselho, respectivamente.

Para o coordenador executivo do Plano, o subsecretário de Desenvolvimento e Integração Regional, Paulo Menegueli, o momento é de comemoração, além de ser uma oportunidade para que cada microrregião do Estado possa expor suas potencialidades.

“Estamos trabalhando arduamente, desde o início da gestão, para a implantação dos conselhos regionais. O apoio e empenho de todas as entidades e demais representantes de cada região capixaba foram fundamentais para o sucesso desta missão. Agora, em conjunto, teremos ainda mais força para explorarmos o potencial desses locais e buscamos alternativas que, de fato, promovam o desenvolvimento de forma equilibrada e sustentável”, explicou Menegueli.

O secretário de Estado de Economia e Planejamento, Álvaro Duboc, fez coro às palavras de Menegueli e afirmou que o desenvolvimento regional integrado é uma das metas do Governo do Estado.  “A partir das vocações, desafios e oportunidades identificadas em cada região, será criado um ambiente de articulação e integração de interesses comuns aos municípios”, disse.

Ainda segundo Duboc, “a iniciativa tem o objetivo de fortalecer a articulação local, envolvendo as prefeituras de cada microrregião, os legislativos municipais, o setor produtivo, as instituições de ensino, os movimentos sociais, o Legislativo Estadual e o Poder Executivo Estadual. É um trabalho conjunto que busca potencializar o desenvolvimento regional e também melhorar a qualidade dos serviços públicos oferecidos à população”, pontuou.

O diretor-presidente do Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN), Luiz Paulo Vellozo Lucas, ressaltou os potenciais já existentes na região noroeste do Estado e que podem ganhar força com a união de esforços e a pactuação dos interesses locais, por meio do Conselho de Desenvolvimento Regional.

“Apropriar-se da maior diversidade de rochas ornamentais do País e agregar valor a esta cadeia produtiva, que já é uma marca na região, é um exemplo de um significativo potencial econômico local, além da atração de investimentos e do fortalecimento das instituições de ensino e pesquisa de modo sinérgico com as atividades econômicas locais. A proximidade com os Pontões Capixabas, as pistas de voo livre e de parapente, além de outros ativos ambientais, apontam ainda para potenciais turísticos, que reverberam também na economia, na geração de renda e prosperidade para as pessoas da região”.

Para o secretário de Estado de Desenvolvimento, Marcos Kneip, o Plano de Desenvolvimento Regional é um dos programas mais estratégicos para a Sedes. “É preciso reconhecer as diferenças regionais e atuar para equilibrá-las, promovendo o desenvolvimento regional sustentável”, apontou.

Plano Regional de Desenvolvimento

O Plano Regional de Desenvolvimento foi lançado pelo Governo do Estado no dia 10 de abril, em Cachoeiro de Itapemirim. Paulo Menegueli lembra que o objetivo dos conselhos é criar um ambiente de articulação e integração de interesses das microrregiões a partir das vocações, desafios e oportunidades identificadas para cada área e buscar o desenvolvimento regional integrado de forma equilibrada e sustentável.

Além da Secretaria de Estado de Desenvolvimento (Sedes), fazem parte do comitê gestor do Plano, a Secretaria de Ciência, Tecnologia, Inovação e Educação Profissional (Secti), a Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo (Fapes), a Secretaria de Economia e Planejamento (SEP) e o Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN).

A política de desenvolvimento regional tem como diretriz o equilíbrio do desenvolvimento em todo Estado, buscando potencializar os arranjos produtivos existentes e gerar novas oportunidades. A ação de Governo se orienta pela busca do equilíbrio e contemplará ações bem estruturadas, focadas na busca de investidores capazes de consolidar ou adensar cadeias produtivas já existentes.

Ao todo, nove conselhos regionais foram implantados nas microrregiões que compõem o Espírito Santo. Na Grande Vitória, as ações serão realizadas pelo Conselho Metropolitano de Desenvolvimento da Grande Vitória (Comdevit), que reúne os sete municípios da região – Vitória, Vila Velha, Serra, Cariacica, Viana, Guarapari e Fundão.

 

Informações à Imprensa:
Assessoria de Comunicação da Sedes/ES Gás/Aderes/Ipem

Andreia Foeger / Cintia Dias –

Assessoria de Comunicação da SEP
Renata Alves (Respondendo)
Assessoria de Comunicação do IJSN
Larissa Linhalis

 

Comentários Facebook