Morte de cadela abatida a tiro em São Mateus estimula protesto para Guriri

A manifestação de Guriri neste sábado ocorre dois dias que antecede uma reunião da CPI dos Maus Tratos da Assembleia Legislativa, em Vitória, que vai ouvir representantes de entidades que cuidam da questão de cães e gatos no Norte do Estado, especialmente ligadas ao episódio da morte violenta da cadela em São Mateus.

104

Um episódio de grande repercussão em nível nacional, ocorrido há 15 dias quando uma cadela foi morta com um tiro quando caminhava pelas ruas do Residencial Lago do Cisne, região nobre de São Mateus, será lembrado em uma caminhada neste sábado (7), no balneário de Guriri.

Promovido pela VIPA (Voluntários Independentes Pelo Amigo), de São Mateus, o protesto que tem o nome “CãoMinhada”, começa às 16 horas com saída de frente à Igrejinha, e os donos de cães e gatos que participarem com seus animais deverão cobri-los com pano amarelo simbolizando a Bandeira Nacional, por tratar-se o sábado Dia da Independência do Brasil.

Organizadores do evento garantem que o percurso não será longo para não expor os animais ao cansaço do sol caso o tempo esteja firme.

Por tratar-se de um feriado a organização espera que gente de outros municípios venham participar da CâoMinhada, aproveitando o feriado nacional.

O protesto ocorre no momento que a sociedade mostra-se indignada com a morte da cadela, assunto que dominou as redes sociais e a imprensa local e do Estado, principalmente devido ao fato de que o suspeito de cometer o “lamentável” crime seria um professor universitário, que dias depois se apresentou à Polícia Civil, mas negou ter sido o autor do disparo, sendo liberado depois de prestar depoimento por quase 2 horas.

A manifestação de Guriri neste sábado ocorre dois dias que antecede uma reunião da CPI dos Maus Tratos da Assembleia Legislativa, em Vitória, que vai ouvir representantes de entidades que cuidam da questão de cães e gatos no Norte do Estado, especialmente ligadas ao episódio da morte violenta da cadela em São Mateus.

Não há, no entanto, confirmação se o professor suspeito de ter matado a cadela no Lago do Cisne teria sido intimado pelos deputados da CPI para ser ouvido nesta próxima reunião.

Dados da Polícia Civil de São Mateus, no Norte do Espírito Santo, revelam que a cada semana uma média de três denúncias são realizadas contra pessoas suspeitas de cometer maus-tratos a animais no município.

O município de São Mateus, atualmente, não possui Centro de Zoonozes. A Secretária de Saúde por meio da Secretaria de Comunicação informou que o município está em busca de uma área que atenda às exigências da legislação ambiental para construir o centro ainda este ano.

 

TEXTO: HILMAR DE JESUS

Comentários Facebook