Banestes DTVM atinge R$ 5 bilhões de recursos sob gestão

O montante deve fazer a gestora subir no ranking da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima).

34
Vitor Lopes Duarte.  diretor de Gestão de Recursos de Terceiros da Banestes DTVM,

A Banestes DTVM atingiu a marca de R$ 5 bilhões de recursos sob gestão da distribuidora, que gerencia fundos de investimentos administrados pelo Banestes e terceiros. O feito ocorre em menos de três meses após a empresa chegar ao montante de R$ 4 bilhões.

O resultado é fruto de uma série de fatores. A captação via rede de agências continua positiva e constante, contribuindo com R$ 350 milhões. Investidores institucionais de outros estados somam uma boa participação: R$ 150 milhões. O restante veio da participação especial nos royalties que o Espírito Santo recebeu recentemente.

“Os fundos têm atraído a atenção de investidores públicos e privados, pela segurança e desempenho apresentados”, destacou o diretor de Gestão de Recursos de Terceiros da Banestes DTVM, Vitor Lopes Duarte.

O montante deve fazer a gestora subir no ranking da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima), em um universo de 600 afiliadas. No mês de junho, a distribuidora de títulos capixaba ocupava a 95ª posição. Com o atual desempenho, a Banestes DTVM deverá chegar a 81ª colocação neste mês.

“Ainda não recebemos os recursos do Fundo Soberano e a captação via agência e instituições estão positivas. Imaginar R$ 6 bilhões este ano é bem realista”, estimou o Duarte.

O valor alcançado em recursos demonstra a evolução crescente da distribuidora, que fechou o ano de 2016 com o total de R$ 2,05 bilhões, atingiu R$ 2,9 bilhões, em 2017 e em 2018 chegou à marca de R$ 3,4 bilhões. A escalada ocorreu neste ano, quando alcançou R$ 4 bilhões em junho e, agora, chega ao patamar de R$ 5 bilhões.

O diretor destaca que os fundos oferecidos pela DTVM são atrativos, se comparados à concorrência. E aí entra o papel fundamental de atuação da rede de agências.

“Podemos trazer de volta quem eventualmente migrou e trazer o dinheiro do cliente que também tem aplicações em outros bancos. É aumentar o que chamam de share of walletdo Banestes”, disse Duarte.

Informações à Imprensa:

Assessoria de Comunicação do Banestes
Rafaella Rodrigues

Comentários Facebook