Médica é agredida por namorado lutador

67
Rosto da médica agredida pelo namorado lutador (Foto: Inter TV RJ/Reprodução)

Um lutador de artes marciais e professor de uma academia, é suspeito de ter agregido a namorada, que é médica, na madrugada de domingo (18). A família registrou um boletim de ocorrência no domingo.

A vítima foi levada para o Hospital Ferreira Machado (HFM) pelo próprio namorado e segundo a Polícia Civil ele alegou que os dois tinham sofrido um acidente de carro. O crime aconteceu Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense.

O delegado responsável pelo caso, Carlos Augusto, disse ao site G1 que o suspeito foi preso em flagrante, autuado na Lei Maria da Penha e foi liberado após pagamento de fiança no valor de R$ 10 mil. Ele foi detido no HFM ao dar entrada com a médica.

As imagens do rosto da vítima foram divulgadas com a autorização dela, por colegas que trablham com ela no HFM, onde a médica atua há cerca de dez anos. A jovem permaneceu internada desde a agressão, na madrugada de domingo. Ela sofreu diversos ferimentos no rosto e precisou levar pontos na boca, foram vários pontos na região da boca, no nariz e sofreu lesões também na região dos olhos. A médica recebeu alta na manhã desta segunda-feira (19). O caso ganhou repercussão nas redes sociais e na cidade.

Sede da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam), de Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense (Foto: Reprodução)

Nesta segunda-feira, a médica chegou às 14 horas na sede da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam), em Campos dos Goytacazes, para prestar depoimento sobre a agressão.

O interrogatório durou mais de quatro horas. Ela deixou a delegacia por volta das 18h40, com um aparato de proteção a sua imagem.

Na delegacia, ela foi encaminhada para exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal. A vítima chegou na companhia de outra mulher, se encontrou com seu advogado e entrou na Deam pelos fundos.

De acordo com o advogado da médica, Luiz Felipe Gomes, o inquérito corre sob sigilo e a vítima está com muitos danos físicos em decorrência das agressões que sofreu no último final de semana. Ele revelou que foi pedida uma medida protetiva contra o lutador de artes marciais.

“A C.S.M está muito abalada com tudo o que aconteceu. Ela ficou com o rosto bastante desconfigurado, foram vários pontos na região da boca, no nariz, atingiu também a região dos olhos”, comentou o advogado.

Segundo a defesa da médica, o professor de artes marciais teria duas passagens pela polícia, sendo uma delas por lesão corporal.

Os bancos sujos de sangue do carro da médica agredida pelo namorado, professor de lutas (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

O veículo – um Jeep Compass – foi encontrado com marcas de sangue próximo ao hospital.

De acordo com familiares da médica, o carro passou por uma avaliação pericial e ficou constatado que não houve acidente. No entanto, dentro do carro é possível ver marcas de sangue.

Por telefone, o suspeito informou que seu advogado é quem falará sobre sua versão no crime.

O advogado Amir Moussallem informou que está aguardando ter acesso ao depoimento da vítima e o fim das diligências policiais para se manifestar. Ele disse também que protocolou uma petição na Deam, se colocando à disposição da delegada.

Em nota, a Polícia Civil informou que o caso foi registrado – inicialmente – como lesão corporal no âmbito da violência doméstica.

“Conforme determina a lei, o pagamento da fiança pode ser arbitrado quando a pena não ultrapassar quatro anos”, informou a nota.

De acordo com a Deam de Campos, “a investigação está em andamento, a vítima será ouvida e encaminhada para exame de corpo de delito para avaliar a gravidade das lesões. Diligências estão em andamento para apurar as circunstâncias do fato”.

Demissão

A Bodytech de Campos, academia onde o suspeito ministrava aulas, emitiu uma nota oficial, por meio de suas redes sociais, informando que o personal seria desligado nesta segunda-feira e negando que tenha sido responsável pelo pagamento da fiança, que, segundo familiares da vítima, teria sido feito por um grupo de alunos.

Com Informações: Tribuna On Line

Comentários Facebook