Fábrica de meio bilhão de reais não será mais construída no Estado

68
Jones Cavaglieri disse que concessão da área foi cancelada. Foto: Reprodução/Facebook

Não deu certo. Mais de uma década depois de a Carta Fabril anunciar a instalação em Aracruz de uma fábrica de papel que criaria milhares de empregos, o negócio foi por água abaixo. O investimento seria acima de meio bilhão de reais, mas a demora na execução fez com que o município perdesse a paciência.

A área onde a indústria seria instalada havia sido concedida pela prefeitura. No espaço, a empresa chegou a iniciar obras de terraplanagem, mas, com 10 anos de atraso para o início da instalação de estruturas, a decisão foi por suspender a concessão do terreno, segundo o prefeito da cidade, Jones Cavaglieri.

O empreendimento foi, por mais de 10 anos, considerado estratégico para o desenvolvimento do Espírito Santo. Seria voltado à produção do material chamado tissue, para guardanapos e higiene íntima, utilizando como matéria-prima a celulose da então Fibria, hoje Suzano.

Mas, ironia do destino, a fábrica de papel ficou mesmo só no… papel.

Com Informações: Tribuna On Line

Comentários Facebook