Sessão da Câmara no Nativo revela descontentamento com administração municipal

170
Jerri Pereira foi o autor do requerimento para a sessão itinerante no Nativo

Com exceção da apresentação do gerente do Banco do Brasil de São Mateus Luiz Thiago Silva Leite de novas linhas de crédito para os produtores rurais, a sessão itinerante da Câmara de Vereadores de São Mateus, nesta terça-feira (30), na Escola Comunitária Rural Municipal “Maria Francisco Nunes Coutinho, no Nativo de Barra Nova, foi marcada por denúncias de abandono por parte da administração.

As denúncias vão desde a falta de políticas públicas para as áreas de educação e saúde e falta de incentivo para os produtores rurais. Sem contar: Nativo é o maior produtor de macadâmia do País e não tem amparo da administração para processar o seu produto, sem precisar de atravessador para levar a fruta para a Europa e Estados Unidos. Na própria escola onde foi realizada a sessão, objeto de requerimento do vereador Jerri Pereira, representante da região na Câmara, eram visíveis a falta de melhorias da qualidade do prédio, que precisa com urgência de reforma e ampliação.

Diante das inúmeras denúncias de descaso com a região que reúne pelo menos dez associações de moradores, pescadores, catadores de caranguejo e produtores, além da recém incorporada região de Barra Seca ao município de São Mateus, o vice-presidente Carlos Alberto Gomes Alves (PSB) sugeriu que uma ata fosse encaminhada ao prefeito, ao Ministério Público Estadual e Federal, bem como ao Governador Renato Casagrande. “As autoridades precisam se posicionar com relação ao descaso da administração com estes moradores”, resumiu o vereador.

Dentre os casos mais graves levantados, com exceção da falta de apoio à agricultura, educação e água potável, se destacou a cobrança do presidente da Associação de Moradores, Pescadores e Assemelhados de Barra Seca Flávio Messias – a comunidade foi desmembrada de Linhares e passou a pertencer a São Mateus – na questão da rede de esgoto. “Há serviços básicos que não estão sendo atendidos pela administração”, denunciou.

O presidente da Associação de Moradores e Pescadores de Campo Grande Adeci de Sena lamentou que nem escola para as crianças estudar o município tem. “Nossos alunos são iguais ioiô, são jogados de uma casa para outra para estudar. O município não tem uma escola digna para nossas crianças”, denunciou.

O presidente da Câmara Jorginho Cabeção prometeu encaminhar cópia da ata da sessão aos órgãos sugeridos pelo vereador Carlos Alberto e aproveitou para convidar os cerca de 100 moradores presentes à sessão para participar da Audiência Pública que será realizada nesta sexta-feira (2) no auditório do Sesc, no Bairro Fátima, em São Mateus, para debater a implantação do Centro Portuário de São Mateus, em Urussuquara, cuja obra trará investimentos para o município e a região de Nativo de Barra Nova.

TEXT0: HILMAR DE JESUS 

Comentários Facebook