PIB capixaba registra estabilidade no 1º trimestre de 2019

11

O Produto Interno Bruno (PIB) do Espírito Santo iniciou o ano de 2019 com variação acumulada estável. A estimativa de PIB trimestral, calculada pelo Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN), registrou -0,1% no indicador, no 1º trimestre do ano, quando comparado ao mesmo período do ano anterior.

Enquanto a Indústria Geral registrou queda (-8,5%), o desempenho positivo do Comércio Varejista Ampliado (+6,1%) contrabalançou o índice, garantindo o equilíbrio da economia no período. Ainda nesta base de comparação, o setor de Serviços registrou leve retração de -1,9%.

“Estamos vivendo uma estagnação na economia capixaba, num movimento semelhante ao do País. E alguns fatores regionais fizeram com que os efeitos negativos fossem mais sentidos pela nossa indústria, especialmente nos segmentos de minério de ferro, celulose e petróleo. Em relação ao minério, tivemos o acidente de Brumadinho que impactou negativamente o complexo minerosiderúrgico do Espírito Santo, e reduções nas produções de celulose e de petróleo, importantes segmentos da indústria capixaba”, pontuou o diretor presidente do IJSN, Luiz Paulo Vellozo Lucas.

Entretanto, ele acredita que “estes mesmos três segmentos nos trarão boas notícias nos próximos trimestres”, além de destacar outros fatores econômicos que mantêm o otimismo no cenário capixaba. “Ainda que neste ambiente de estagnação, temos vários outros elementos positivos na economia capixaba, como o indicativo de recuperação da construção civil (+4,4% no primeiro trimestre), o aumento do consumo das famílias e o mercado de trabalho, com saldo de mais de seis mil postos de trabalho este ano”, ressaltou.

Quando comparada ao trimestre imediatamente anterior, a economia capixaba teve queda de -1,3% no 1º trimestre deste ano, também puxada pela Indústria Geral. “Nesta comparação, partimos de uma base muito boa, que foi o resultado do quarto trimestre de 2018, com um crescimento alavancado pelo desempenho espetacular da agricultura naquele período. Ocorre que, este ano, a previsão de safra é menor, graças aos efeitos sazonais – como a bienalidade do café – e ao estresse hídrico do começo do ano, que afetam diretamente o setor agrícola. Sem o destaque positivo da agricultura, a economia capixaba está sentindo mais o efeito negativo da indústria neste ano”, explicou.

Em termos nominais, o PIB do Espírito Santo no primeiro trimestre de 2019 foi de R$ 29,1 bilhões. Já no acumulado dos últimos quatro trimestres, o valor totalizou R$ 121,9 bilhões. Ainda nesta base de comparação acumulada (do segundo trimestre de 2018 ao primeiro trimestre de 2019), a variação da economia capixaba foi positiva (+2,1%).

Os dados do Indicador Trimestral de PIB referentes ao 1º Trimestre de 2019 foram apresentados à imprensa nesta terça-feira (18). Esta estimativa de PIB é calculada trimestralmente pelo Instituto Jones dos Santos Neves e tem por objetivo um acompanhamento mais atualizado da economia do que o PIB anual, cujos resultados possuem defasagem de dois anos. O cálculo do PIB Estadual é realizado em parceria com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Panorama Econômico

O IJSN divulgou ainda o Panorama Econômico, uma análise detalhada dos movimentos econômicos captados pelo PIB Trimestral nos diferentes setores. O documento contempla também dados da Agricultura, Indústria, Comércio, Serviços, Comércio Exterior, Inflação e Mercado de Trabalho.

O desempenho negativo da indústria frente a igual período anterior, deve-se principalmente aos resultados registrados na Indústria Extrativa (-10,0%), seguida da fabricação de papel e produtos de papel (-32,2%), metalurgia (-2,4%) e fabricação de produtos alimentícios (-0,2%). Como destaque neste primeiro trimestre de 2019 está a Indústria Extrativa, no segmento de minérios de ferro pelotizados ou sinterizados.

Na Agricultura, realiza-se um levantamento com base nas expectativas e nas informações obtidas junto aos produtores nos municípios das unidades da federação. O Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), é um indicador com informações de área e de volume de produção agrícola para o ano corrente.

No caso do Espírito Santo, a expectativa para o ano é que culturas importantes para a economia capixaba, como o café, sofram efeitos negativos das elevadas temperaturas com poucas chuvas, observadas no verão de 2019. Outro fator que deve atingir a produção cafeeira é a bienalidade negativa em 2019, e por 2018 ter sido um ano de rendimento muito elevado.

No Comércio, o varejo capixaba registrou taxas positivas em todos os indicadores, com resultados superiores ao do varejo nacional. O varejo ampliado (composto pelas vendas do varejo restrito somadas às dos segmentos de veículos, motocicletas, partes e peças e material de construção), na comparação interanual, expandiu +6,1% no volume de vendas e +8,6%, na receita nominal. Nesta base de comparação, destaque para Equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação, com crescimento de +62,7%.

Já o volume do setor de Serviços registrou queda de -1,9% no 1º trimestre, comparado ao mesmo período do ano anterior. Nesta comparação, a queda foi puxada pelo segmento de Profissionais, administrativos e complementares (-14,3%). Apesar do resultado negativo, os segmentos de Serviços prestados às Famílias (+3,9%) e de Transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (+ 2,4%) apresentaram resultados positivos.

A receita nominal de serviços no Espírito Santo, no primeiro trimestre de 2019, registrou aumento (+3,5%) no confronto com igual período do ano anterior (-0,1%), também com a contribuição dos segmentos de Serviços de transportes, serviços auxiliares aos transportes e correios (+11,5%) e os Serviços prestados às famílias (+7,0%).

Comparado ao mesmo período do ano passado, o comércio exterior capixaba apresentou crescimento de +10,56%. Foram as importações que puxaram esse aumento, com uma variação de +20,57%, enquanto as exportações cresceram em magnitude menor (+4,21%).

Os Estados Unidos permaneceram na liderança dos destinos das vendas externas capixabas, no primeiro trimestre de 2019, mas essa participação, que era de 27,6% no trimestre anterior, caiu para 24,0%. Rochas ornamentais trabalhadas (27,46%), produtos semimanufaturados de ligas de aço (16,44%), minérios de ferro (15,50%) e celulose (14,04%) foram os principais produtos vendidos aos Estados Unidos no primeiro trimestre de 2019.

Quanto às origens das compras externas capixabas no primeiro trimestre de 2019, a China manteve o primeiro lugar, porém perdeu participação, passando de 25,0% no quarto trimestre de 2018 para 22,3% no período. Os principais produtos comprados da China foram máquinas e equipamentos de comunicação (28,34%), veículos, partes e acessórios (9,44%), filamentos sintéticos ou artificiais (9,44%) e máquinas, aparelhos e instrumentos mecânicos e partes (8,40%).

A pesquisa de Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo – IPCA do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mostra que a inflação do primeiro trimestre de 2019 na Região Metropolitana da Grande Vitória (RMGV) ficou abaixo da média do país, com taxas de +1,3% e +1,5%, respectivamente. A principal contribuição para a aceleração de preços na RMGV veio do grupo Alimentação e bebidas (+3,7%), em razão de deter o maior peso na composição do índice.

Além da pressão exercida por Alimentação e bebidas, a taxa do período foi influenciada também pelos aumentos em produtos e serviços do grupo Educação (+2,8%), que costumam ter os reajustes efetuados nos primeiros meses do ano; e em Habitação, devido aos acréscimos das tarifas de energia elétrica residencial (+4,7%).

Na avaliação do Mercado de Trabalho capixaba no 1° trimestre de 2019, a taxa de desocupação no estado foi estimada em 12,1%, mantendo-se estável estatisticamente em relação ao 1º trimestre de 2018.

De acordo com os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) do Ministério da Economia, os empregos formais referentes ao primeiro trimestre de 2019, apresentaram saldo positivo de +6.185 postos de trabalho no Espírito Santo. Neste trimestre, o estoque de empregos no Estado alcançou o patamar de 727.108 vínculos de emprego, se consideradas as declarações realizadas fora do prazo. Os setores que mais empregaram foram: Serviços (+4.958) e Indústria de Transformação (+2.467).

Veja o relatório do Indicador Trimestral de PIB do Espírito Santo – 1º Trimestre de 2019
Leia a íntegra do Panorama Econômico – 1º Trimestre de 2019 

DA REDAÇÃO DO JORNAL A ILHA | COM INFORMAÇÕES Assessoria de Comunicação do IJSN Larissa Linhalis

Comentários Facebook