Alunas do Ifes denunciam assédio sexual no Campus de São Mateus

1421

Alunas do Ifes de São Mateus passaram por maus momentos diante de dois empregados da empresa Multiface na tarde desta quarta-feira, no ponto de ônibus do Polo Universitário do Bairro Litorâneo. Identificados pelas iniciais A.S.C, 40 anos, e I.C.O., de 31, foram detidos por uma guarnição da Polícia Militar e encaminhados para a 19ª Delegacia da Polícia Civil. A empresa é responsável pela poda de árvore no município de São Mateus.
O caso chegou ao conhecimento da coordenadora pedagógica que fez contato com a PM afirmando que algumas alunas teriam sofrido algum tipo de assedio no ponto de ônibus provocada por dois funcionários da empresa (multiface serviços) que estavam trabalhando no canteiro central em frente da saída do instituto.

De acordo com relato de uma das alunas, ela abraçou uma amiga também estudante momento que o funcionário da empresa disse: “eu quero um abraço também gatinha”, mas elas o ignoraram. Não satisfeito um segundo homem funcionário da empresa o senhor J.C, apontou a mão para seu pênis e disse em voz alta, “senta aqui no colinho do papai”.

Foi quando alunas ficaram desesperadas e uma delas começou a chorar e retornaram para o Ifes. Relataram ainda que ao retornarem ouviram alguém dizer novamente: “senta aqui no colinho do papai” mais não sabe dizer quem foi que falou pela segunda vez.

Os policiais registraram na ocorrência que ouviram a versão dos acusados e eles afirmam que momento nenhum dirigiram palavra para as alunas, que apenas estavam dançando. Diante da situação os empregados da Multiface e as alunas foram encaminhados para a delegacia para que providências sejam tomadas.

Um coordenador da empresa identificado por Thiago revelou que “os denunciados são pessoas adultas que devem se responsabilizar por seus atos, e que a Multiface jamais admite este tipo de comportamento e que estariam sendo adotadas as providências para apurar a versão das alunas. Revelou ainda que a empresa possui 70 empregados em São Mateus e que periodicamente são feitas reuniões para orientar sobre o comportamento que devem adotar durante o trabalho.

Já o sócio proprietário da empresa Caio Faria Donateli antecipou que o corpo jurídico está estudando as medidas legais que deverão ser tomadas, mas antecipou que os “colaboradores” (denunciados) foram afastados de atividades externas e que medidas administrativas serão adotadas para apurar toda a verdade. “Não é momento de fazermos um julgamento antecipado, sem antes apurar os fatos denunciados”.

DA REDAÇÃO DO JORNAL A ILHA / HILMAR DE JESUS 

Comentários Facebook