Sedes discute estratégias de inovação em Cariacica

11

O secretário de Estado de Desenvolvimento, Heber Resende, esteve na manhã desta terça-feira (14), em uma das fábricas da empresa Prysmian Cabos e Sistemas do Brasil, em Cariacica. O objetivo foi conhecer o potencial tecnológico da empresa, que pode servir de modelo para a atração de startups relacionadas à inovação para o Estado. No mês passado, o secretário visitou outra unidade da empresa, localizada em Vila Velha.

“Com utilização de 90% de engenharia capixaba, o grupo desperta interesse para o estabelecimento de importantes parcerias na área da tecnologia e inovação, uma das prioridades do Governo do Estado, conforme já definido em Planejamento Estratégico. Gostei muito do que vimos, e vamos analisar a possibilidade de parcerias com universidades e startups”, explicou o secretário Heber Resende.

Já o responsável pelas pesquisas e desenvolvimento da Prysmian, Rafael Loureiro Tanaka, informou que o grupo está aberto a parcerias. “Gostaríamos de ampliar nosso diálogo com as universidades, para que possamos obter mão de obra cada vez mais qualificada, sobretudo, na área de software e treinamentos. Para nós, é sempre importante podermos contar com o apoio de profissionais e fornecedores locais”, explicou.

A visita também contou com a presença do subsecretário de Atração de Investimentos e Negócios Internacionais, Cristiano Woelffel; do assessor, Gabriel Feitosa; do coordenador do Fórum Capixaba de Petróleo e Gás, Durval Vieira; e do técnico Elton Siqueira, que representou Fundação de Amparo à Pesquisa do Espírito (Fapes).

O Grupo Prysmian atua na área da tecnologia e desenvolvimento de cabos e sistemas para os setores de energia e telecomunicações. Atualmente, tem cinco unidades fabris, localizadas Vila Velha e Cariacica, Santo André e Sorocaba (São Paulo), e em Joinville (Santa Catarina).

Os negócios de Petróleo e Gás agora também fazem parte do grupo empresarial que fornece sistemas integrados para perfuração de nicho de valor superior, valor agregado e cabos ESP, para instalações químicas, petroquímicas, de energia ou industriais.

DA REDAÇÃO DO JORNAL A ILHA COM INFORMAÇÃO / ASSESSORIA SEDES/ADERES/IPEM - Andreia Foeger
Comentários Facebook