São Mateus: Estudantes do CEUNES pedem à Câmara apoio contra o corte de verbas pelo MEC

36
Acompanhada de um grupo de universitários na plateia, a presidente do 
Diretório Acadêmico do CEUNES/UFES, Lorena Barros de Mattos, fez uso da 
Tribuna Popular da Câmara de São Mateus, na sessão ordinária desta 
terça-feira (14). Ela protestou contra o bloqueio de 30% na verba das 
instituições de ensino federais, anunciado pelo Ministério da Educação.
Segundo Lorena, aluna do curso de matemática, a decisão do MEC pode 
comprometer o futuro do Ceunes e pediu aos vereadores engajamento na 
luta pela manutenção da universidade. “É importante se posicionar nesta 
hora, vai haver corte de bolsas, vai comprometer as pesquisas, são 
estudantes com a possibilidade de ter que desistir dos cursos”, alertou.
O comunicado de bloqueio de recursos, que atinge também o IFES, surgiu 
depois das reações críticas ao corte de verba de três universidades que 
tinham sido palco de manifestações públicas.
“No Ceunes não tem bagunça, ciência está sendo produzida lá dentro. Se 
houver balbúrdia em alguma universidade, vai ser amanhã (hoje), na rua” 
reagiu a presidente do Diretório Acadêmico, ao anunciar um ato de 
protesto na BR 101, na manhã desta quarta-feira.

POSICIONAMENTO

Francisco Amaro sugeriu ampliar a mobilização política, envolvendo os 
municípios do norte do estado e a bancada federal. “A maior bagunça que 
um governante pode fazer é retirar dinheiro da educação. Eu sugiro, 
presidente e nobres colegas vereadores, que São Mateus seja referência 
nessa discussão, que a gente mobilize as câmaras municipais e a bancada 
capixaba em Brasília. Isso precisa ser discutido e  levado à presidência 
da república e principalmente ao Ministério da Educação”, disse o 
vereador.
Autora do convite à Lorena para uso da tribuna, a vereadora Jaciara 
Teixeira considerou válida a sugestão. “Concordo em a gente estar nesse 
momento, lembrando aos prefeitos desses municípios e às câmaras que nós 
corremos um risco. Nós lutamos tanto para trazer a universidade, temos a 
possibilidade de ir perdendo aos poucos até sumir. São Mateus, assim 
como iniciou a luta para trazer, tem que iniciar a luta para manter.
O presidente da Câmara, Jorginho Cabeção, concordou em ampliar a 
mobilização. “Fiz parte da Câmara, no tempo em que votamos a aquisição 
daquele terreno para construção do Ceunes. Foi uma luta de todos e não 
podemos recuar. Colocamos a câmara à disposição e vamos juntos unir 
forças”. Em seu discurso, pediu ao vereador Aquiles Moreira para fazer 
contato com o deputado federal Da Vitória (PPS), líder da bancada 
capixaba em Brasília. “Vou tentar agendar a vinda dele aqui ao município 
e precisamos também marcar com os prefeitos e vereadores do norte. 
Estamos à disposição dos alunos,”, respondeu Aquiles.
Segundo Paulo Chagas o anúncio do MEC já era esperado. “Há alguns meses 
atrás falávamos sobre isso, hoje estamos vendo o risco de fechamento das 
universidades. Estudantes, é hora de travar uma luta sem cessar e trazer 
para este debate toda a bancada, não é causa única, é de todos”, afirmou 
o parlamentar.

PERDAS

De acordo com a reitoria do Ifes, a porcentagem de perda para a 
instituição corresponde a aproximadamente R$ 25 milhões dos R$ 64 
milhões orçados para o ano de 2019.  Para a Ufes, representa redução de 
R$ 20 milhões em recursos destinados ao custeio.
Comentários Facebook