Acusado de matar empresária com vergalhão é condenado a 26 anos de prisão

Morador de rua afirmou no julgamento que atirou o vergalhão em direção ao filho

42

O morador de rua Felipe Rodrigues Gonçalves, de 32 anos, foi condenado nesta quarta-feira (15) a 26 anos e 8 meses de prisão, em regime fechado, pela morte da empresária Simone Venturini Tonani, de 42 anos, em maio do ano passado. Simone passava de carro quando foi atingida na cabeça por um vergalhão, atirado por Felipe.

Após ser atingida, a motorista perdeu o controle da direção do Toyota Rav4 branco que conduzia e acabou colidindo em outro veículo. Imagens de câmeras de videomonitoramento registraram o momento em que o morador de rua atirou a barra.

A sentença de Felipe foi pronunciada nesta quarta em juri popular, realizado no Fórum de Vila Velha.

No julgamento, Felipe confessou que atirou o vergalhão que atingiu a empresária, mas o alvo seria outro: o filho dele, de 14 anos. Ele reconheceu que, ao atirar a barra de ferro, poderia matar ou ferir o próprio filho.

“O Conselho de Sentença reconheceu que o crime foi praticado mediante recurso que dificultou a defesa da vítima Simoni Venturini Tonani, eis que esta estava no interior de seu veículo e não esperava ser atacada, sendo então surpreendida pelo ataque”, diz a sentença proferida pelo juiz-presidente Eneas José Ferreira Miranda.

Felipe irá cumprir a pena em regime fechado.

Simone Venturini Tonani foi morta dentro de seu carro, na Praia da Costa (Foto: Acervo Pessoal)

DA REDAÇÃO DO JORNAL A ILHA | COM INFORMAÇÕES TRIBUNA ONLINE

Comentários Facebook