Justiça suspende eleição do MDB de Vitória e Chico Donato vira vilão

O deputado José Esmeraldo anunciou a decisão da Justiça e criticou a postura da executiva do partido. Enquanto isso, vem à tona denúncias contra Chico Donato de usar o partido para interesses pessoais.

271

A Caixa Preta do MDB (antigo PMDB) no Estado começa a ser aberta com denúncias da prática de fraude na eleição do Diretório de Vitória que seria realizada neste sábado, mas que foi suspensa pela Justiça. Mas, no embalo da eleição na Capital que tem como pano de fundo a eleição para Executiva Estadual em julho, a briga entre dois grupos, do atual presidente e ex-deputado Lelo Coimbra e do ex-presidente Marcelino Fraga.

Mas as denúncias não se restringem apenas à disputa pelo diretório municipal e estadual. O atual presidente Chico Donato, do grupo de Lelo Coimbra, é acusado por filiados do partido de ser detentor de um cargo federal, quando na realidade estaria impedido por ser ocupante de cargo na Fundação Ulisses Guimarães, com sede regional na Enseada do Suá, em Vitória. Com isso, Donato está proibido de “deliberar sobre questões relativas a eleições partidárias”.

A eleição para o diretório municipal do MDB de Vitória, prevista para este sábado (4), está suspensa. A decisão, em atendimento a pedido de tutela provisória de urgência antecipada, é do juiz Marcos Horácio Miranda e foi anunciada no final da tarde desta quinta-feira (2).

Com o ato, o magistrado derruba a impugnação da chapa “Renovação Pra Valer”, liderada pelo deputado estadual José Esmeraldo, e intima o presidente da Comissão Executiva, Francisco Carlos Donato Júnior, o Chico Donato, a publicar “imediatamente novo edital de convocação de eleições”. A decisão judicial é resultante de recurso impetrado por membros da chapa impugnada, acusada de cometer fraude no processo de registro junto à Comissão Executiva, que apoia a chapa “Vitória 2020”. Esse grupo é liderado pela ex-deputada estadual Luzia Toledo, alinhada com o presidente Lelo.

Os membros da chapa “Renovação Para Valer” denunciaram a Comissão Executiva do partido de armar uma trama “para se perpetuar no poder”. Eles negaram a fraude apontada como justificativa para a impugnação da chapa, contida em nota pública emitida pelo partido nessa segunda-feira (29). O grupo apoia o ex-deputado federal Marcelino Fraga para a disputa à Executiva Estadual, que será realizada em junho.

Para José Esmeraldo, o MDB em Vitória está morrendo e a comprovação disso é que não fez nenhum vereador nas eleições de 2018. “A situação é de abandono também na Assembleia Legislativa, onde o partido tinha uma bancada de quatro deputados e hoje tem apenas dois”, acrescentou.

DA REDAÇÃO DO JORNAL A ILHA / HILMAR DE JESUS

Comentários Facebook