Moradores pedem iluminação no Rodocon onde jovem morreu atropelada

47

Ao mesmo tempo em que realizavam protesto pacífico no trecho da BR 101, entre os bairros Rodocon, Seac e Nova Era, moradores se manifestaram na sessão da Câmara de São Mateus, na noite desta terça-feira (02), pela morte da jovem  Mayane Ebes Farias, de 22 anos, vítima de atropelamento na noite do último domingo. Ela seguia de bicicleta para o trabalho na fábrica de porcelana Oxford, bairro Nova Era, quando foi atropelada. O motorista fugiu sem prestar socorro.

Segurando cartazes, parentes, amigos e colegas de trabalho da Mayane pediram aos vereadores que intercedam junto à prefeitura e Eco 101, concessionária que administra a via, para instalação de iluminação pública e mais segurança no perímetro urbano da rodovia, entre os três bairros.

PERIGO

Através de ofício, a vereadora Jaciara Teixeira solicitou que a presidente da Associação de Moradores do bairro Nova Era, Marlene Alves dos Santos, se manifestasse na tribuna. “Perdi dois irmãos no mesmo trecho, minha filha também sofreu acidente ali. Agora foi a Mayane e

deixa uma criança de 2 anos. Ela estava no seu primeiro emprego e cheia de sonhos. Aquele trecho é um breu só e ninguém toma providências”, desabafou Marlene.

Ela informou que a associação fez contato, sem êxito, com a Eco 101.

“Estamos aqui pedindo socorro, porque a empresa diz que a responsabilidade é do município, mas falaram que estão abertos a participar de reunião com a prefeitura, um empurra pro outro e o bairro continua esquecido”, disse.

MOBILIZAÇÃO

Os vereadores lamentaram a morte de Mayane e criticaram a demora por providências. Carlos Alberto sugeriu convidar um representante da concessionária para dar explicações e o presidente Jorginho Cabeção assumiu o compromisso de mobilizar as partes envolvidas. “Concordo em trazer representante da Eco e reunir também, conosco, o prefeito, deputados, comissão de moradores. Isso tem que ser urgente, já vamos começar a fazer os contatos. A câmara será a voz de vocês junto aos outros poderes, pode ter certeza disso”,  disse Jorginho aos moradores.

“A câmara não vai se furtar a sua obrigação de manter o diálogo. Não foi por falta de cobrança minha e dessa Casa de Leis. Através de emenda, eu solicitei duas vezes ao prefeito a iluminação daquele local e não fui atendido”, disse Jozail, que também entregou à dona Marlene cópia de documento requerido à Eco 101,  no qual a empresa esclarece que não é de sua responsabilidade instalar postes e luminárias no perímetro urbano,  onde já não tinha luz antes da assinatura do contrato de concessão.

POSIÇÃO DO LÍDER DO GOVERNO

Francisco Amaro responsabilizou a concessionária. “Eles tem que arcar com as consequências, porque é atribuição deles e a prefeitura tem que cobrar”, afirmou o líder do prefeito na Câmara. No decorrer da sessão, ele anunciou que conseguiu agendar uma reunião de moradores no gabinete do prefeito para esta quarta-feira (03).  Jorginho Cabeção confirmou que a reunião definida anteriormente em consenso com os vereadores será mantida.

DA REDAÇÃO DO JORNAL A ILHA COM INFORMAÇÃO / Secretaria de Comunicação/CMSM

Comentários Facebook