Bairro Litorâneo: Moradores convivem com mal cheiro e buracos

A rua Alberto Sartório é onde fica a fábrica da Águia Mineral Açaí, do prefeito Daniel Santana.

56

Acordar pela manhã e passar o dia todo tendo que conviver com o mal cheiro provocado pelo esgoto a céu aberto tornou-se rotina para os moradores da maioria dos bairros da periferia de São Mateus. Mas em um deles, que não chega a ser de periferia, o Litorâneo, em São Mateus, há uma enorme diferença: a rua em questão é a Alberto Sartório, que dá acesso à fábrica da Águia Mineral Açaí, de propriedade do prefeito da cidade, Daniel Santana, que também é conhecido como Daniel da Açaí, exatamente por ser o dono distribuidora de água.

Mas o problema não se resume apenas no mau cheiro provocado pelo esgoto que escorre na rua que fica atrás do Posto Águia Mineral. A grande quantidade de buracos é outro drama vivido pelas quase 100 famílias. Pior: a rua serve de acesso à fábrica e é por onde diariamente transitam caminhões carregados de galões da água mineral. A rua também serve de acesso ao Centro Universitário Norte do Espírito Santo (Ceunes).

Com medo de sofrer represálias (é óbvio), os moradores pedem para não serem identificados pela reportagem, mas garantem que a prefeitura já tem conhecimento do problema que existe há bastante tempo. “Na semana que antecedeu o Carnaval fomos até a prefeitura e a pessoa que nos atendeu disse que as atenções naquele momento estavam voltadas para Guriri, mas que depois da Folia uma equipe da Secretaria de Obras e Infraestrutura iria ao local, só que até hoje (segunda-feira 11) ninguém apareceu”, relata um morador.

Ainda de acordo com o morador, acontece de a máquina da prefeitura passar na rua e tapar os buracos, mas quando chove volta tudo de novo. É uma buraqueira só”, reclama.

DA REDAÇÃO DO JORNAL A ILHA / HILMAR DE JESUS

Comentários Facebook