Câmara de São Mateus aprova 28 milhões para pagar servidor do município

118
Carlos Alberto, Jorginho e Jozail, a nova mesa diretora. Foto: Rosevaldo Batista

Os servidores públicos municipais, fornecedores e aposentados que foram dispensados pelo prefeito Daniel Santana Barbosa, o Daniel da Açaí já podem comemorar: a Câmara de Vereadores aprovou na sessão da noite desta terça-feira (4) a suplementação de R$ 28 milhões feita pelo prefeito. A comunicação da aprovação do Projeto de Lei do Executivo será protocolada na Prefeitura ainda hoje (quarta-feira) o que garante o depósito do dinheiro no caixa da prefeitura.

A aprovação do projeto foi uma garantia dada na semana passada pelo presidente da Câmara vereador Carlos Alberto Gomes Alves (PSB) de que seria feita na sessão desta terça-feira, o que foi cumprido. Mas uma emenda do presidente exige que o prefeito Daniel faça prestação de contas do que foi pago com os R$ 28 milhões. A prestação deve ser feita no máximo dia 10 de janeiro quando já estará ocupando a presidência o vereado Jorginho Cabeção, eleito na última segunda-feira para dirigir a Mesa Diretora que tem o próprio Carlos Alberto como vice-presidente, Jozail do Bombeiro 1º secretário e Aquiles Moreira 2º secretário.

COMPROMISSO

Ao final da sessão Carlos Alberto usou da tribuna para explicar as razões que o levaram a deixar para a sessão desta feira a votação do projeto, afirmando que o prefeito “tentou jogar os servidores contra os vereadores que compõem o G6, divulgando em redes sociais que a oposição estava ameaçando não votar o projeto. “Aqui não tem oposição, e sim vereadores que defendem a aplicação do dinheiro público da forma legal”.

Disse ainda que o prefeito agiu de forma rasteira ao apresentar como justificativa para o não pagamento de suas obrigações com servidores, aposentados que ele mandou embora dos quadros da prefeitura, e prestadores de serviço como de iluminação pública e coleta de lixo. “Ele bem que tem dinheiro em caixa para cumprir com suas obrigações, mas tentou jogar nosso grupo na saia justa”, explicou.

O vereador Jozail, por sua vez, garantiu que o projeto foi protocolado na Câmara no dia 20 de novembro e dever ia seguir tramitação por até 40 dias nas comissões, mas para comprovar que o grupo que ele faz parte v não tem trabalhado para atrapalhar o prefeito Daniel, apoiou a posição do presidente Carlos Alberto em colocar logo em votação “para não prejudicar os servidores, aposentados demitidos e fornecedores”.

Já o futuro presidente Jorginho Cabeção que assume em 1º de janeiro de 2019 garantiu que vai exigir que oi prefeito cumpra o que ficou estabelecido na emenda apresentada pelo vereador Carlos Alberto que obriga Daniel prestar contas de onde foi usado devidamente os R$ 28 milhões aprovados como suplementação. “Não somos contra festas que o prefeito gosta de fazer, mas temos que estar atentos para acompanhar de que forma está sendo gasto o dinheiro de nós contribuintes que pagamos os impostos”, justificou.

DA REDAÇÃO | HILMAR DE JESUS

Comentários Facebook