Grupo dos 6 unido para disputa à Presidência da Câmara de São Mateus

97

Às vésperas da escola da nova Mesa Diretora da Câmara de São Mateus, que acontece na próxima segunda-feira (3) de dezembro, é grande a movimentação em torno do pleito que terá grande influência nos destinos do município nos dois próximos anos, em função da a votação de terça-feira no Tribunal Superior Eleitoral (PSE) que pode determinar o afastamento definitivo do prefeito Daniel Santana Barbosa, o Daniel da Açaí. Atualmente o prefeito está no cargo por conta de uma liminar que pode ser cassada em Brasília, abrindo possibilidade nova eleição para prefeito do município no início de 2019.

A união do grupo de vereadores denominado G6, encabeçado pelo atual vice-presidente da Câmara e virtual candidato à presidência, ocupada hoje pelo vereador Carlos Alberto Gomes Alves (PSB), é reforçada pelos vereadores Jozail do Bombeiro, do mesmo partido de Jorginho (PTB), Jerri Pereira e Antônio Luiz Cardoso, o Temperinho, ambos do PRTB. Tem ainda o vereador do PHS Ajalirio Caldeira que foi o fiel da balança na eleição da Mesa Diretora há dois anos, possibilitando a vitória de Carlos Alberto.

O presidente do PHS de São Mates e atual diretor geral administrativo da Câmara, Valdemir Andrade de Santana, o Dema, garante que os integrantes do G6 permanecem unidos em torno da eleição de segunda-feira. “Eles estão conscientes de se manterem juntos pela importância que têm no processo político de São Mateus que hoje atravessa uma de seus piores momentos na esfera administrativa, com um prefeito mantido no cargo sob liminar, o que há muito não acontecia”, explicou.

Dema disse ainda que os vereadores, para fugirem de possível pressão, o que é comum neste período que antecede uma eleição para a Mesa Diretora, estão fora da cidade, mas não soube informar para onde teriam ido. “Nem telefone estã

o atendendo”, resumiu, concluindo que o G6 está fechado com o nome de Jorginho Cabeção para presidente na eleição de segunda-feira.

Já o presidente do PRTB municipal Dirceu Nieto garantiu que os dois vereadores do partido, Temperinho e Jerri já garantiram que não há a menor possibilidade de desestabilização do grupo. “Nossos vereadores não aceitam pressão externa são homens de palavra. Portanto, jamais deixarão de votar pela união do grupo”, justificou.

Comentários Facebook