Mesmo com repasse, entidades sociais de São Mateus enfrentaram dificuldades

66

SÃO MATEUS (ES) – Entidades como APAE (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais) e Lar dos Velhinhos de São Mateus irão enfrentar os mesmos problemas em 2019. Isso pode ocorrer devido à política adotada pelos Governos Federal, Estadual e, que desembarca no município de São Mateus que enfrenta um dos maiores problemas financeiro das últimas décadas, com baixa arrecadação, resultado da falta de grandes investimentos nas áreas sociais. A Secretaria manteve em seu orçamento para 2019 os mesmos valores de 2018.

Pelo menos é o que ficou evidente durante a sabatina a que foi submetida a Secretaria de Assistência Social do município Marinalva Broedel na Câmara na tarde desta segunda-feira (19), atendendo a um convite para explicar a política adotada pela administração municipal para as áreas sociais, principalmente. Ela foi ouvida pelos membros das quatro comissões constituídas do Legislativo.

Participaram da reunião os vereadores Jozail do Bombeiro, Ajalírio Caldeira, Jorge Recla de Jesus, Aquiles Moreira, Francisco Amaro, líder do prefeito na Câmara, Jaciara Teixeira e Temperinho. O presidente da Câmara, Carlos Alberto Gomes Alves (PSB) chegou no plenário faltando pouco para encerrar a reunião, mas só observou os trabalhos.

Marinalva Broedel deixou claro que é preocupante a situação financeira das entidades com destaque para a APAE e Lar dos Velhinhos que não tem evoluído na conquista de repasses dos governos Estadual e Federal, enquanto que o município não tem como arcar com o repasse de recursos necessários para uma boa assistência principalmente às crianças, seus pais, e os internos do Lar dos Velhinhos.

A secretária Marinalva Broedel, explicou que a Secretaria de Assistência Social tem garantido no seu orçamento para 2019 os mesmos valores de repasse para as entidades, feitos este ano que são: APAE R$ 275.659,00 e Lar dos Velhinhos R$ 370.600,00 anuais. Revelou ainda que outros setores da administração municipal como secretarias de Saúde e Educação também destinam parcelas de seus orçamentos para as entidades que também possuem outras fontes de recursos.

Frisou ainda que o município tem feito sua parte para atender às entidades, dentro de suas limitações financeiras para garantir o atendimento a quem necessita dos serviços. “O que o município repassa está garantido”, explicou.

HABITAÇÃO

Outro problema levantado na reunião pelo vice-presidente da Câmara vereador Jorge Recla de Jesus é a questão da moradia, principalmente para as famílias cadastradas para o conjunto Residencial Solar São Mateus, no bairro Aroeira. A secretária explicou que o processo de recadastramento já terminou e que no início de 2019 a Caixa Econômica Federal ´já poderá dar início ao processo para entrega das unidades, o que deverá ocorrer em julho do mesmo ano.

Ainda na reunião Marinalva apelou aos vereadores no sentido de fazer contatos com seus parlamentares em Brasília, (deputados federais e Senadores), no sentido de sensibilizá-los a interceder junto ao Governo Federal para mudar a política de assistência social no País. Da mesma forma pediu que fossem feitos contatos com a futura bancada de Deputados Estadual para interceder ao futuro governador Renato Casagrande (PSB) no sentido de restabelecer uma política social mais voltada para famílias carentes, crianças e idosos.

Comentários Facebook